sábado, 12 de outubro de 2013

Arte marcial e vitória fácil do Brasil

No retorno de Hulk e Daniel Alves a seleção, o Brasil passou fácil pela Coréia do Sul, o jogo deu para reviver a campanha do penta, afinal de contas, o Brasil foi muito feliz na Copa do Mundo de 2002. No estádio Sang-am, o jogo mais famoso foi a vitória surpresa de Senegal contra a França, na abertura do mundial da Coréia e do Japão.
Neymar mostra a que veio e detona os coreanos... na bola. (Mowa Press)

Retornando a falar da partida, os coreanos começaram muito bem, apertando a saida de bola dos brasileiros. Em muitos momentos da primeira etapa, vimos uma Coréia do Sul mais corajosa que o time da CBF. O jovem Hong Myung-Bo, um dos grandes ídolos da história do país, participou da Copa 2002 e agora treina o bom time coreano. Quando o Brasil começou a jogar futebol, os jogadores do time rival perderam a cabeça, praticamente agredindo Neymar, o ponta brasileiro sofreu em torno de 15 faltas.

O momento crucial da primeira etapa foi quando Neymar sofreu uma falta próxima ao banco coreano, foi visível o tapinha que Marcelo deu no jogador coreano, por pouco, o lateral não foi expulso. Apesar de muitas faltas, o Brasil estava jogando bem, boa volta de Daniel Alves e Hulk, e um Oscar provando a boa fase de Chelsea. No fim da primeira etapa, o gol veio, falta para a seleção e Neymar não decepcionou, marcou o golaço, calou os coreanos e respondeu jogando futebol.

Neymar apanhou, apanhou... e apanhou. (EFE)
No segundo tempo, Felipão sacou Hulk e pôs Ramires, totalmente fora de posição, o volante mal apareceu na partida. O jogo poderia ter tido emoção, não fosse um passe extraordinário de Paulinho para oscar, o camisa 11 driblou o goleiro e ampliou para os verde-amarelos, 2 a 0 e a partida viraria treino. A Coréia seguia batendo, alguns brasileiros responderam as entradas com novas fortes entradas, uma verdadeira aula... de artes marciais. Não criando tantas chances assim, nem tomando pressão, Scolari botou em campo Maxwell, Hernanes e Lucas Leiva, o volante vive boa fase no Liverpool e, enfim retornou a seleção.

Agora levando para o lado individual, a partida foi muito boa para o Oscar, que mostrou que a seleção pode contar com ele, mesmo tendo feito uma Copa das Confederações abixo do esperado. Neymar foi o cara da partida, sofreu faltas, não se abateu e ainda decidiu, o camisa 10 tem tudo para chegar voando na Copa do Mundo. Quem não foi bem no jogo foi o atacante Jô, muito discreto, pouco apareceu. Fred segue lesionado, será que realmente podemos contar com o 9 do Flu para a Copa do Mundo? No mais, um árbitro muito fraco, Rasulov Abdukhamidullo errou em muitos lances e um recorde de público em Seul, 65 mil acompanharam e entraram para a história do estádio.

A seleção brasileira volta a campo nesta terça-feira, onde enfrenta a fraca Zambia no Ninho de Pássaro, em Pequim. Felipão usará o jogo para dar experiência e testar alguns jogadores reservas, o Brasil deve atropelar os africanos

FICHA TÉCNICA - COREIA DO SUL 0 X 2 BRASIL
Local: Estádio Sang-am, em Seul (Coreia do Sul)
Data: 12 de outubro de 2013, sábado
Horário: 8 horas (de Brasília)
Árbitro: Irmatov Ravshan (Uzbequistão)
Assistentes: Rasulov Abdukhamidullo (Uzbequistão) e Kochkarov Bakhadyr (Quirguistão)
Público: 65.308 pessoas
Cartões amarelos: Ki Sung-Yueng, Lee Chung-Yong e Lee Yong (Coreia do Sul)
Gols: BRASIL: Neymar, aos 43 minutos do primeiro tempo, e Oscar, aos 3 minutos do segundo tempo
COREIA DO SUL: Jung Sung-Ryong; Kim Ji-Soo, Kim Young-Gwon, Hong Jeong-Ho e Lee Yong; Kim Bo-Kyung (Go Yo-Han), Ki Sung-Yueng, Lee Chung-Yong (Yun Il-Lok) e Han Kook-Young; Ji Dong-Won (Lee Keun-Ho) e Koo Ja-Cheol (Son Heung-Min)
Técnico: Hong Myung-Bo
BRASIL: Jefferson; Daniel Alves, David Luiz, Dante e Marcelo (Maxwell); Luiz Gustavo (Lucas Leiva), Paulinho (Hernanes) e Oscar (Bernard); Hulk (Ramires), Jô e Neymar

Técnico: Luiz Felipe Scolari