sábado, 31 de agosto de 2013

UFC 164: Bendo e seus algoz.


 Um salve para todos os leitores da Tribuna no Cisco, este final de semana teremos mais evento principal do UFC, com mais uma disputa de cinturão, desta vez na categoria dos leves. Benson Henderson vai defender o status de campeão contra seu algoz no antigo WEC Anthony Pettis. O duelo entre “Smooth” e “Showtime” fechará esta edição que também contará com o retorno de Josh Barnett à franquia americana. O local de realização será o  BMO Harris Bradley Center em Milwaukee, Wisconsin, casa do Milwaukee Bucks e do time de basquete da Universidade de Marquette.

Cartaz oficial. (ufc.com)


Ben Herderson está cada vez mais se garantido como o número da categoria que eu considero a mais equilibrada do UFC. Porém, é impressionante que a cada luta que passa ele vem ganhando um pouco mais de antipatia dos simpatizantes e fãs das artes marciais mistas pelo simples fato de não conseguir finalizar suas lutas. Em sete confrontos, Bendo ganhou todas por decisão, umas vitórias bem contestadas como a segunda luta contra Frankie Edgar e a batalha contra Gilbert Melendez. Bendo sempre apresenta um condicionamento físico impressionante, um arsenal de golpes para todos os momentos da luta em pé(em longa distância, curta, clinch), boa defesa de quedas, derruba bem e tem um jogo de chão sólido. Então, porque tanta dificuldade em terminar a luta antes dos cinco rounds? A cada dia que passa, Bendo mostra que seu poder de nocaute não é contundente e sua fama de amarrão aumenta a cada dia, o que eu considero muito injusta já que o campeão sempre proporciona excelentes pelejas.

Quem levará a melhor na revanche? (odia.ig)
Já seu adversário, Anthony Pettis, entrou no UFC como o campeão do extinto WEC. Todos que acompanham o MMA tiveram no ano de 2011 uma das grandes zebras do esporte que foi a derrota de Clay Guida (que coincidentemente lutará hoje também). “Showtime”, tem tido grandes apresentações e convencido a todos, porém caiu em desgosto ultimamente porque vem falando demais, tendo um comportamento fora do seu usual. Primeiro ele disputaria o cinturão dos penas contra José Aldo, o que seria um lutão! Alegou uma contusão no joelho e não estaria apto para entrar no octógono contra o brasileiro. Pouco tempo depois, ficou falando que ele é quem deveria lutar contra Bendo e não o desafiante TJ Grant. Resultado? Grant se machucou e foi substituído por Pettis, que vai ter, além de tudo, a vantagem de lutar na sua terra natal. Pettis falou demais, pediu demais, chorou demais e conseguiu o que queria desde o começo, uma chance de se tornar campeão do UFC.

No geral, o evento é de altíssimo nível. As lutas do card principal serão todas comentadas na última parte da postagem, como de costume. Porém, algumas menções devem ser feitas. Primeiro, a volta do “Assassino com cara de bebê”, que por muitos anos rodou o mundo em eventos concorrentes e sempre se apresentando de forma significativa. Durante este período, eram constantes também as trocas de farpas entre o lutador e o presidente do UFC, Dana White. Talvez a grande decepção dos fãs de MMA foi não terem tido a oportunidade de ver um combate de Barnett contra Fedor Emelianenko, a luta estava marcada para a terceira edição do Affliction, mas acabou não se realizando devido cancelamento o evento e extinção da franquia. Porém, tivemos lutas memoráveis como dois combates com Pedro Rizzo, dois com Mirko Cro-Cop, contra Mark Hunt, dois contra Minotauro, contra Randy Couture e etc. Barnett também é conhecido por ser muito arrogante, tendo alguns desafetos declarados como os brasileiros Antônio Pezão e Fabrício Werdum.

Tibau é o único brasileiro na noite (suacidade.com)
Entre as lutas do card preliminar, teremos o único brasileiro do evento, Gleison Tibau vai ter a chance (mais uma vez) de entrar dentro do TOP 10 da categoria. Seu adversário será o duríssimo Jamie Varner, que possui um excelente jogo de quedas e pode dificultar demais o trabalho do brasileiro. Na categoria dos moscas, o ex-TUF Loius Gaudinot fará sua segunda luta na categoria contra Tim Elliot. Por fim, o filho do lendário Randy Couture fará sua segunda luta no UFC contra Al Iaquinta.

Agora vamos aos palpites.

Erik Kock vs Dustin Poirier

Erik Kock esteve muito próximo de tentar lutar contra José Aldo no Rio de Janeiro, porém, um acidente de moto entrou no seu caminho. A luta foi adiada, e em seguida, ele se machucou e Frankie Edgar, obedecendo ao patrão Dana White, desceu para a categoria dos penas, furando a fila de todo mundo.  Quando voltou a lutar, acabou sendo derrotado por Ricardo Lamas. Por mais que o seu background seja o Taekwondo, seus resultados mostram uma grande habilidade de finalizar seus combates por meio de submissão. Já seu adversário, Dustin Poirier, é faixa-marrom de BJJ, já provou que é perigoso e tem uma luta incrível no seu currículo que foi a derrota contra o Zumbi Coreano Jung Chan-Sung. Dustin também se apresenta de forma segura em pé, mostrando está evoluindo, apesar de ter vindo de revés contra Cub Swanson. De fato, a luta tem tudo para ser muito parelha, mas imagino que se levada ao chão, Poirier aumenta suas chances de vitória consideravelmente.
PALPITE: POIRIER POR SUBMISSÃO NO SEGUNDO ROUND.

Ben Roathwell vs Brandon Vera

Brandon Vera no octógono é sinônimo de diversão! O cara é duro, verdade, mais muitas vezes mostra muito mais coração do que técnica, corrigindo, só coração e nenhuma técnica. Eu gosto de vê-lo lutando, mas quando me lembro da luta contra Shogun, em que parecia uma peleja do  “Bebum Fighting Championship”. Fiquei bem envergonhado com seu desempenho. Seu adversário é um cara forte, que gosta de nocautear seus adversários, porém, não é um bom recebe bem os golpes e acaba tendo uma grande chance de ser nocauteado. É uma luta difícil de prever um vencedor, mas é seguro que será um combate muito animado.
PALPITE: ROATHWELL POR NOCAUTE NO PRIMEIRO ROUND

Chad Mendes vs Clay Guida

Chad não está muito longe de uma revanche contra Aldo, pode ter certeza disso. O cara é um wrestler bom de briga e muito dominante, com um detalhe crucial, um excelente poder de nocaute. Vai enfrentar o melhor corredor do UFC, Clay Guida. O Capitão Caverna é treinado por Greg Jackson, talvez o melhor estrategista para os lutadores e o pior para os espectadores, pois é sempre muito cauteloso e busca a vitória da maneira mais segura possível, o que não é errado. Mas uma coisa é valida falar sobre Guida, ele é muito raçudo e nunca foi nocauteado, sinceramente, não acredito que hoje seja o dia que isso vai acontecer. Todavia, não vejo ele com habilidades suficientes para vencer Mendes.
PALPITE: MENDES POR DECISÃO UNÂNIME

Frank Mir vs Josh Barnett

O retorno do cara de bebê ao UFC. (superlutas.com)
Essa era uma luta que eu gostaria de ver se desenrolar no chão! Dois mestres das finalizações. Mir é um dos melhores jiu-jiteiros não brasileiros do esporte, fato! Com finalizações épicas contra Brock Lesnar, Tank Abbott, Rodrigo Minotauro e a Tim Sylvia. Josh Barnett não é muito diferente, seu desempenho no chão é tão espetacular durante seus anos de atuação que ele foi condecorado com uma faixa-preta de BJJ. Sobre a luta, difícil não conseguir apostar no Warmaster. Nos últimos cinco anos, Barnett ganhou nove das últimas dez lutas, enquanto Mir está em clara decadência e se apresentando de forma lamentável até quando vence suas lutas. Bem, mas, BJJ por BJJ, Mir é muito melhor e já conseguiu se safar inúmeras vezes.
PALPITE: BARNETT POR DECISÃO UNÂNIME

Benson Henderson vs Anthony Pettis

Essa luta será a melhor da noite, com certeza, dois lutadores muito habilidosos que sempre andam pra frente, isso não tem como dar errado. Pettis aparenta levar vantagem em pé enquanto Bendo, conseguindo levar para o chão, causará muitos danos com seus GnP agressivo. Foi mais ou menos isto que aconteceu no último encontro dos dois, porém, o atual campeão é muito bom e com certeza estudou o jogo de Pettis e deve ter treinado com alguém com uma postura semelhante. Já “Showtime” tem de fazer o mesmo que se tornou campeão do WEC e não dar vacilo no condicionamento físico, pois seria um grande facilitador para a vitória de “Smooth”.

PALPITE: HERNDERSON POR DECISÃO DIVIDIDA