sábado, 6 de julho de 2013

UFC 162: A luta de uma estrela sem rumo definido.

O tradicional Salve da Tribuna do Cisco aos fãs de MMA dos sábados de manhã que precedem os principais eventos do UFC. Hoje, teremos mais uma disputa de cinturão, inclusive, envolvendo brasileiros. O evento acontece no MGM Garden, palco de grandes clássicos da história das lutas como a luta entre Holyfield e Tyson, a famosa peleja da mordida na orelha. Serão onze lutas ao total, recheadas de brasileiros, inclusive, sendo os responsáveis pelas três últimas lutas da noite.
Poster Oficial. (territoriotupiniquim)


Por se tratar de uma luta dos médios, não tem como não focar na atual situação da categoria e principalmente do campeão dela. O que vemos hoje, não, desde 2006, é um domínio absoluto que fez com que a categoria tenha se tornado algo parecido com o campeonato espanhol de futebol, onde existem dois principais e dezoito coadjuvantes. A única diferença é que em nenhum momento surgiu alguém que pudesse ameaçar o reinado de Anderson, nem o antigo rei da categoria, Rich Franklin. A hegemonia de Anderson Silva se tornou uma faca de dois gumes para o UFC, por um lado, temos um coringa imprevisível que consegue feitos incríveis e é apontado como o maior lutador da história da franquia americana. Do outro lado, o atleta que está tendo dificuldades (ou pondo dificuldades, para não “manchar” seus números) em dar de cara com o problema da ausência de desafios de verdade.

O mais preocupado com resultado 
de hoje. (mmaconvert.com)
Então, parece que Weidman não é um desafio à altura de Anderson Silva? Aos meus olhos eu não o vejo como alguém habilidoso o suficiente para ser o detentor do cinturão, mas ele não é um mau lutador. Pelo menos, não da forma como o UFC está vendendo o combate. Weidman está invicto e chegou muito bem credenciado ao posto de desafiante número um já tendo vencido o badalado Uriah Hall e devastando o duríssimo Mark Muñoz. Weidman pode chegar a ser um campeão do UFC, porque além de talentoso, ainda é jovem e pode evoluir muito mais, principalmente seu jogo em pé.

Agora vendo a luta para o UFC, segundo as palavras de Dana White, aparentemente duas coisas podem acontecer. Caso Weidman tenha seu braço erguido ao fim do combate, podem desconsiderar o título da postagem, pois Anderson teria uma revanche imediata (ou seja, planos concretos), trazendo os holofotes todos de volta para a categoria, e não para o campeão. Porém, se Silva mantiver sua invencibilidade, terá de começar a trabalhar a ideia de novos desafios, pois o UFC não está conseguindo e, segundo as palavras do seu Manda-Chuva, nem tem interesse de usar sua principal estrela em eventos “comuns”. O nome de Anderson foi vendido sem esforço algum nos últimos anos, somado a eventos de peso em lutas contra Dan Henderson, Franklin, Belfort e a rivalidade criada e fomentada pelo UFC contra Chael Sonnen. Porém, no momento, o negócio não está dando brecha para um grande apelo de vendas na categoria. Somando isto ao fato de Anderson já ter 38 anos de idade, faz com que as tão badaladas “Super-lutas” fiquem cada vez mais próximas de serem oficializadas. A grande dificuldade na realização, a meu ver, continua sendo os próprios lutadores não alimentarem a ideia, só que, esse obstáculo pode ser facilmente resolvido partindo do pressuposto que o UFC é um negócio (em outras palavras $$$$$$)



É namoro? (espn.com.br)
Tratando agora sobre o resto do evento. Para mim, este card é o segundo melhor do ano, perdendo apenas para o UFC 156. As lutas do card principal, como vocês já sabem, serão comentadas nos palpites. No card preliminar, destaque para o confronto tupiniquim entre Edson Barboza e Rafaello Trator. Também ainda teremos Gabriel Napão, que vem de um revés muito contestado contra Travis Browne, enfrentando o grandão Dave Herman, que corre muitos riscos de ser demitido caso perca para o carioca. E por fim, o maluco Chris Leben, também põe seu emprego em jogo contra o texano Andrew Craig.

Vamos aos palpites. 

Dennis Siver vs Cub Swanson
Excelente começo para o card principal. Dois lutadores em ascensão na categoria reinada por José Aldo em que um deles vai ficar bem credenciados para enfretar o brasileiro em caso de dois triunfos seguidos. Siver é muito forte, seguro e duro. Porém, faz tempo que não consegue terminar uma luta antes do fim dos quinze minutos. Já Swanson, conseguiu recuperar o rumo da sua carreira. O ex-desafiante número 1 do WEC vem de quatro vitórias e de atuações muito convincentes, com nocautes muito bonitos. A luta em pé, no recente histórico, o americano dá um baile no russo-alemão. No solo, credencio uma pequena vantagem ao lutador europeu, porém, muito ligeira. Imagino que Swanson terá mais um title-shot em breve.
PALPITE: SWANSON POR DECISÃO UNÂNIME.
Tim Boestch vs Mark Muñoz
Outra luta muito interessante, não porque definirá um futuro desafiante ao título dos médios, mas porque dará uma guinada e uma caída ainda mas brusca na carreira destes lutadores. Boetsch, que surgiu como uma surpresa na categoria dos médios após virar várias lutas, decepcionou na sua última atuação mostrando uma postura muito apática. Já Muñoz, estava muito próximo de ter a chance de enfrentar o campeão Anderson Silva, porém, sofreu uma grave lesão e passou muito tempo na geladeira. Acabou sofrendo um dos nocautes mais brutais do ano passado e voltou para o fim da luta. Analisando friamente os lutadores, acredito que o filho de filipinos é muito mais completo e aposto que ele conseguirá repassar esse diferencial técnico dentro do octógono.
PALPITE: MUÑOZ POR NOCAUTE NO SEGUNDO ROUND
Tim Kennedy VS Roger Gracie
Estreia do deca campeão 
mundial de BJJ (lancenet.com)
Essa luta tem tudo para ser um combate brilhante no solo. Tim Kennedy é um cara duro, e nada melhor do que uma luta contra Ronaldo Jacaré para mostrar que ele possui habilidades que se sobressaem na luta de chão. Porém, difícil acreditar nas palavras de Kennedy quando estás para enfrentar um deca campeão mundial de jiu-jitsu. O problema é que a evolução de Roger na luta em pé está muito devagar, deixando uma brecha muito grande para seu adversário conseguir encontrar uma forma de trazer dificuldades para o brasileiro. Vale-se salientar também que Kennedy tem uma excelente defesa de quedas também, o que é mais um empecilho para que Roger consiga obter alguma vantagem no decorrer do combate. No mais, se a luta realmente for para o grapling, não acredito que Roger precise mais do que 90 segundos para por um ponto final na peleja.
PALPITE: KENNEDY POR DECISÃO UNÂNIME
Edgar buscando sua retomada à cinta (lancenet.com)
Frankie Edgar VS Charles do Bronx
O MMA é um esporte próximo ao futebol com relação à possibilidade de surpresas nas previsões. Todavia, uma derrota de Edgar chocaria a todos no os envolvidos, especialistas, jornalistas, fãs e qualquer um que acompanhe o mundo das lutas. Frankie é espetacular! Raçudo, contundente, atlético, forte e adora proporcionar shows! Vencer a lenda BJ Penn duas vezes, nocauteou o duríssimo Maynard e perder de forma muito contestada para Bendo. The Answer já tinha um poder de nocaute alto na categoria dos leves, tendo ficado talvez até mais forte nos penas. Já do Bronx, é um lutador para o futuro. O Brasileiro já tem um Jiu-Jitsu de altíssimo nível, tendo vários prêmio de finalização da noite e proporcionado uma das lutas mais interessantes no chão contra Jim Miller. Mas, ainda não no gabarito do lutador americano, principalmente por ter sofrido com alguns nocautes na carreira. Porém, a zebra sempre pode acontecer, principalmente se ele conseguir levar a luta pro chão, todavia, ainda continua sendo muito improvável.
PALPITE: EDGAR POR NOCAUTE NO PRIMEIRO ROUND
Anderson Silva vs Chris Weidman
Weidman apareceu como um meteoro na categoria, derrubando todos que estavam na sua frente, inclusive o desafiante número 1 Mark Muñoz de maneira incontestável. Agora, é a bola da vez para tentar roubar o cinturão das mãos do brasileiro, sendo apontado até pelo manda chuva Dana White como o maior desafio para o brasileiro, e, realmente, o gringo merece respeito. Só que do outro lado, está o homem que mais obteve sucessos em defesas de títulos e o melhor lutador em pé de todo UFC e é assim que a luta começa. Se o americano conseguir derrubar Spider, suas chances aumentam bastante. Porém, imagina-se que o brasileiro tenha treinado bastante para que o americano não consiga tirar o campeão da sua zona de conforto, e, mesmo tendo a mão muito pesada, não consigo desenhar Weidman acertando Anderson de forma muito contundente. A verdade é que eu ainda não vejo pontos fortes suficientes para fazer Spider deixar de ser o campeão.
PALPITE: SILVA POR NOCAUTE NO SEGUNDO ROUND.