quinta-feira, 4 de julho de 2013

Brasil na América: 13° Episódio

Newell’s Old Boys 2 x 0 Atlético Mineiro: A Copa das Confederações acabou e os holofotes voltaram para as semifinais da Taça Libertadores. Na terça-feira, o Olimpia venceu o Santa Fé por 2 a 0 e se aproximou de mais uma final em sua história. Na quarta, o único brasileiro ainda presente foi à campo, o duelo foi contra o Newell’s Old Boys, na Argentina. O que vimos no estádio Marcelo Bielsa, em Rosário foi um belo show de uma torcida fanática, que empurrou o time até o minuto final, e um Atlético Mineiro apático e de ressaca.
Tardelli não rende e Atlético se complica. (UOL/Tribuna do Cisco)

O Atlético vinha de uma classificação sofrida, Victor pegou o pênalti no último minuto e levou o time a fase semifinal. Desfalcado de Rever, Leonardo Silva e Leandro Donizete, Cuca teve trabalho para armar um bom time para o jogo, teve de colocar Josué e Pierre, com Gilberto Silva e Rafael Marques na zaga, uma formação bastante arriscada. O grande problema foi que o quarteto ofensivo não funcionou, Tardelli jogou no sacrifício, estava machucado, Jô e Bernard vieram de ressaca pós título com a seleção e Ronaldinho, o que mais tinha que mostrar serviço, até tentou motivar o time, deu o passe para o gol anulado de Jô, mas nada adiantou.

O Newell’s veio bastante embalado para a disputa, o time argentino eliminou o Boca Juniors, na partida que teve mais de 15 penalidades. O time conta com o talento de Ignacio Scocco, o destaque do time na temporada é candidato a craque da Libertadores e já desperta interesse de clubes brasileiros. Gerardo Martino também conta com a experiência dos rodados jogadores Maxi Rodríguez e Gabriel Heinze, importantíssimos na campanha do campeão argentino.

Maxi festeja primeiro gol dos argentinos.
(Gazeta do Povo)
Os gols do time argentino provaram que o elenco atleticano estava muito desatento, no primeiro, a defesa não conseguiu tirar a bola da área e, de quebra, deixou Maxi Rodríguez livre para cabecear para o gol, no contrapé do goleiro Victor. No segundo gol, o mérito foi de Scocco, o atacante chutou no canto de Victor, o goleiro armou a barreira muito mal, mas não teve chances para o bom chute de Scocco. O Galo tem uma difícil missão, precisará do apoio da torcida, e jogar o melhor futebol do time na Libertadores até então, um tarefa quase impossível. Rever e Leonardo Silva devem continuar de fora, Tardelli preocupa, R10 e Cia terão que decidir. Caso eliminado, a partida poderá ser a última de Bernard com a camisa do time, Kalil já afirmou que o meia deixa o time após a Libertadores. Resta o craque jogar muito e adiar a despedida.

Ficha técnica:

Local: Estádio Marcelo Bielsa, em Rosário (ARG)

Data: 03 de julho de 2013 (quarta-feira)

Horário: 21h50 (horário de Brasília)

Árbitro: Enrique Osses (Chile)

Assistentes: Carlos Astroza e Sergio Román (ambos do Chile)

Cartões Amarelos: Pablo Pérez, Casco, Maxi Rodríguez (NEWELL’S), Bernard, Gilberto Silva e Luan (ATLÉTICO-MG),

Gol: Maxi Rodríguez, aos 17, e Scocco, aos 35 minutos do segundo tempo

NEWELL’S OLD BOYS: Guzmán; Cáceres, Vergini, Heinze e Casco; Pablo Pérez, Mateo e Bernardi; Figueroa (Tonso), Scocco e Maxi Rodríguez
Técnico: Gerardo Martino

ATLÉTICO-MG: Victor; Marcos Rocha, Gilberto Silva, Rafael Marques e Richarlyson; Pierre, Josué, Ronaldinho e Tardelli (Luan); Bernard e Jô

Técnico: Cuca