quinta-feira, 27 de junho de 2013

Subiu Paulinho e adeus Uruguai

Semifinal – Brasil 2 x 1 Uruguai:

No confronto histórico dos dois últimos campeões da América, o Brasil saiu vencedor, sem dúvida o jogo mais emocionante do torneio até então, teve pênalti defendido, fortes entradas e a raça sulamericana de sempre. O Brasil de Scolari espera pelo vencedor de Espanha e Itália, torcendo para receber os espanhóis, um tira-teima que é esperado há tempos, para os uruguaios resta a disputa pelo terceiro lugar e tempo para focar nas Eliminatórias para a Copa do Mundo, em que a Celeste não está bem colocada.
No jogo mais "raçudo" da competição, Paulinho foi predestinado e garantiu o Brasil na final. (UOL/Tribuna do Cisco) 
No início do jogo veio um grande susto, David Luiz, num ato de irresponsabilidade, “atacou” o zagueiro Lugano até o próprio cair dentro da área, pênalti para o Uruguai, a chance de ouro, o momento crucial do jogo. Forlán na bola, o craque da última Copa do Mundo tinha a oportunidade de voltar a aparecer para o mundo, no gol estava Júlio César, o goleiro que já havia passado por muitas provações, mas depois de épocas de esquecimento, o goleiro tinha sua provação mais importante. Diego preparou, partiu e... JÚLIO CÉSAAAR!!!! O atacante cantou o lado e acabou batendo mal, Júlio que não tinha nada a ver com isso defendeu bem e jogou a bola para fora.

Fred errou o chute, mas acertou o gol. (Getty)
O primeiro tempo seguiu se arrastando, o Brasil tocava a bola, mas com pouca objetividade, isso porque a defesa uruguaia estava muito fechada, todavia a seleção da CBF foi melhor por quase toda a primeira etapa.  Hulk tabelo com Oscar e chutou para fora, ainda não foi esse o dia em que Hulk marcou pelo time do Felipão, o cara sempre marcava quando Mano era o técnico. Perto dos 45 minutos, Paulinho recebeu a bola e enfiou um excelentíssimo lançamento para Neymar, que dominou com maestria e chutou, Muslera espalmou para frente, a bola caiu nos pés errados, quer dizer, nos pés certos, Fred canelou a bola, que seguiu vagarosamente para o gol, 1 a 0 Brasil e fim do primeiro tempo.

Foi o terceiro gol de Fred na competição, o artilheiro já está adaptado ao torneio e tem um jogo para garantir a artilharia do torneio, voltando para o lance do gol, caso Fred tivesse chutado com perfeição a bola teria esbarrado em Lugano e não entrado no gol, então graças ao acaso o atacante triscou na bola e ela foi para o gol, faro de artilheiro. No segundo tempo, Felipão sabia que não poderia cometer erros, pois sabia que esse era o jogo mais difícil das Confederações para a sua seleção, contudo o Brasil cometeu o grave erro, em bate-rebate na grande área, Thiago Silva não deu chutão e tocou mal para Marcelo, Cavani roubou a bola e chutou para o gol, quando Júlio olhou para trás, a bola já estufava as redes, 1 a 1 e Celeste empolgada.

Cavani empatou e encheu os uruguaios de esperança. (Reuters)
Aí o jogo pegou fogo, ataca para lá, contra-ataque para cá, pressão nas arquibancadas e Felipão, tentando amenizar tal pressão, colocou o menino Bernard no lugar de Hulk, só faltou o Mineirão explodir, o garoto de ouro do Atlético Mineiro deu uma nova energia para o time, mas o gol teimava em não sair. Suárez foi até a área e desabou, o árbitro nada marcou. Neymar era caçado em campo, ganhou muitas faltas com seus “belos” saltos para o chão. Os saltos de Neymar fez González perder a cabeça e chutar o brasileiro no chão, Enrique Osses deu apenas amarelo, porém os dois jogadores protagonizaram uma cena hilária, González sentiu e deixou o campo pela lateral, onde Neymar iria cobrar um escanteio, foi a hora do uruguaio tirar uma casquinha do brasileiro, os dois trocaram palavras “amigáveis” e “carícias”, inclusive Neymar mandou beijinhos para González, foi mesmo para descontrair um pouco ou aumentar a tensão da partida.

Neymar mandou beijos para González e
para o Uruguai. (Sportv)
Minutos depois, veio o alívio, Neymar cobrou escanteio na cabeça de um Paulinho livre de marcação, foi o banho de água fria para Tabárez e seus comandados, 2 a 1 e Brasil com um pé no Maracanã. O gol foi marcado aos 41 da etapa final, o Uruguai tinha que correr contra o tempo e enfrentar a catimba sulamericana, mais uma vez, a malandragem característica do nosso continente levou a melhor, nem adiantou Muslera ir para a área brasileira, já era tarde demais e o chileno Osses apitou o final do jogo, Brasil está em mais uma final de Copa das Confederações.

Sem dúvidas, não foi a melhor partida do Brasil, longe disso, foi a pior apresentação da seleção na competição, vale uma reflexão, pois a seleção está próxima do tira-teima contra os espanhóis, ou seja, tem que entrar pronta para o maior desafio da seleção nos últimos anos, até lá, tem Espanha enfrentando a Itália por uma vaga na final e um período para treinar e descansar, a final é no domingo, o Maracanã é o palco e o horário é as 19:00, vai pegar fogo!

Destaque: Paulinho.

Ficha técnica:

Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Data: 26 de junho de 2013, quarta-feira

Horário: 16 horas (de Brasília)

Árbitro: Enrique Osses (Chile)

Assistentes: Carlos Atroza e Sergio Román (ambos do Chile)

Público: 57.483 expectadores

Cartões amarelos: David Luiz, Luiz Gustavo e Marcelo (Brasil); Cavani e González (Uruguai)

Gols:

BRASIL: Fred, aos 40 minutos do primeiro tempo e Paulinho, aos 41 minutos do segundo tempo

URUGUAI: Cavani, aos dois minutos do segundo tempo

BRASIL: Júlio César; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho e Oscar (Hernanes); Hulk (Bernard), Fred e Neymar (Dante)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

URUGUAI: Fernando Muslera; Maximiliano Pereira, Diego Lugano, Diego Godín e Martín Cáceres; Arévalo Ríos, González (Walter Gargano) e Cristian Rodríguez; Diego Forlán, Luis Suárez e Cavani

Técnico: Óscar Tabárez