sexta-feira, 14 de junho de 2013

Repleto de campeões continentais, vai começar o torneio "tapa buraco" da FIFA

Chamado de teste final para a Copa do Mundo, o Brasil está prestes a receber a Copa das Confederações, a bola já rola no sábado, com a CBF enfrentando a seleção japonesa, uma tarefa um tanto quanto “chatinha” para Felipão e Cia. A Copa das Confederações não um torneio muito valorizado para os europeus, além de desgastar os jogadores, ela é meio que um tapa buraco entre a Eurocopa e a Copa do Mundo. O Brasil é o atual bicampeão da competição, entretando o time não vem bem e deverá penar na atual edição, contudo a Tribuna preparou um pequeno guia sobre todas as seleções quês já estão no país para a disputa do torneio.
Vai começar o ensaio para a Copa do Mundo. (Tribuna do Cisco)

Grupo A


Técnico – Luiz Felipe Scolari.

Elenco – Goleiros: Júlio Cesar (Queen Park Rangers), Diego Cavalieri (Fluminense) e Jefferson (Botafogo).
Zagueiros: Thiago Silva (PSG), Rever (Atlético-MG), David Luiz (Chelsea) e Dante (Bayern).
Laterais: Daniel Alves (Barcelona), Jean (Fluminense), Marcelo (Real Madrid) e Filipe Luís (Atlético de Madrid).
Volantes: Fernando (Grêmio), Hernanes (Lazio), Luiz Gustavo (Bayern), Paulinho (Corinthians).
Meias: Jadson (São Paulo), Oscar (Chelsea) e Lucas (Paris Saint-Germain).
Atacantes: Hulk (Zenit), Bernard (Atlético-MG), Jô (Atlético Mineiro), Fred (Fluminense) e Neymar (Barcelona).

Principal jogador: Neymar.

Títulos da Competição – Três (1997, 2005 e 2009).

Enfraquecido, o Brasil entra sob pressão.
(Governo Federal)
Atual campeão e dono da casa, a seleção brasileira entra enfraquecida para a competição, desde a saída de Dunga, a seleção nunca mais se entendeu e vem protagonizando fiascos (Copa América e Olimpíadas de Londres). Com a chegada de Scolari, o Brasil continua passando apertos, mas enfim duelou contra seleções vitoriosas nos jogos preparatórios para o torneio, um empate com a Inglaterra (2 a 2) e uma boa vitória contra a França (3 a 0).

Neymar continua sendo a maior estrela dessa seleção, mas o craque não começou 2013 bem e nunca rendeu o esperado pela seleção, o ponta aproveitou a deixa para fechar com o Barcelona, fato que pode ajudá-lo a render mais pela seleção. Além de Neymar, Felipão tem peças muito boas para colocar em campo, Hernanes e Paulinho vivem grande momento, Hulk é sempre muito útil, Oscar é o camisa 10 que todo time deseja ter, Júlio César deixa a defesa mais confiante, Thiago Silva é o xerife, Fred é certeza de gol e Lucas é um reserva de luxo, tem tudo para dar certo, o problema é a questão de entrosamento, todavia se fizer uma copa digna, a CBF pode conquistas o povo e de quebra evoluir com o elenco, a Copa das Confederações será o grande parâmetro para medirmos como a seleção estará na Copa do Mundo.



Técnico – Cesare Prandelli.

Elenco – Goleiros: Buffon (Juventus), Marchetti (Lazio), Sirigu (Paris Saint-Germain).
Defensores: Abate (Milan), Astori (Cagliari), Barzagli (Juventus), Bonucci (Juventus), Chiellini (Juventus), De Sciglio (Milan), Maggio (Napoli).
Meias: Aquilani (Fiorentina), Candreva (Lazio), Cerci (Torino), De Rossi (Roma), Diamanti (Bologna), Giaccherini (Juventus), Marchisio (Juventus), Montolivo (Milan), Pirlo (Juventus).
Atacantes: Balotelli (Milan), El Shaarawy (Milan), Gilardino (Bologna), Giovinco (Juventus).

Principal jogador: Pirlo.

Títulos – Nenhum.

Azzurra também está em reformulação.
(Carlos Augusto Ferrari)
Classificada pela segunda vez consecutiva, a Azzurra só conseguiu o acesso graças ao vice-campeonato na Euro 2012, quando foi goleada pela seleção espanhola na final, como a Espanha também é campeã mundial, a Itália herdou a vaga. O time também passa por uma grande reformulação, o técnico Cesare Prandelli tem enfrentando muitos problemas para achar um time ideal, o cara do time é Andrea Pirlo, o volante fez uma Euro de tirar o chapéu, chamou a responsabilidade e com certeza guiará os passos do selecionado na Copa das Confederações. Buffon é o capitão do time, o goleiro não vive boa fase, mas é campeão italiano, Balotelli é canditado a artilheiro e El Shaarawy a revelação. Apesar do péssimo retrospecto, a Itália pode sim surpreender.



Técnico - José Manuel de la Torre.

Elenco – Goleiros: Alfredo Tavalera (Toluca), Guilhermo Ochoa (Ajaccio-FRA) e Jesus Corona (Cruz Azul)
Laterais: Andrés Guardado (Valencia), Jorge Torres Nilo (Tigres-MEX) e Hiram Mier (Monterrey)
Zagueiros: Carlos Salcido (Tigres-MEX), Diego Reyes (América-MEX), Francisco Javier Rodríguez (América-MEX), Héctor Moreno (Espanyol) e Severo Meza (Monterrey)
Meias: Ángel Reyna (Pachuca), Gerardo Torrado (Cruz Azul), Giovani dos Santos (Mallorca), Héctor Herrera (Pachuca), Javier Aquino (Villarreal) e Jesús Molina (América-MEX)
Atacantes: Aldo de Nigris (Monterrey), Javier Hernandez (Manchester United), Jesús Zavala (Monterrey), Gerardo Flores (Cruz Azul), Pablo Barrera (Cruz Azul) e Raúl Jiménez (América-MEX)

Principal jogador: Javier Hernández.

Títulos – Um (1999).

Campeão olímpico, México pode surpreender. (Divulgação)
Perigoso como sempre, o México vem para buscar a classificação no grupo do Brasil na Copa das Confederações, o time está empolgadíssimo, acabou de conquistar os Jogos Olímpicos em cima da própria seleção brasileira (2 a 1). Comandada por José Manuel de La Torre, a seleção mexicana vive bom momento, pois também conquistou a Copa Ouro, título que deu vaga na Copa das Confederações, porém não faz uma boa eliminatória, tem que tomar cuidado, a Copa vem aí.
Chicharito Hernandéz disputou a Copa da África como uma mera promessa, contudo a joia se apresentou para o mundo, acertou com o Manchester United, e hoje é a grande referencia de seu país. Giovani dos Santos era chamado de “Ronaldinho cover”, porém nunca fora aquilo que lhe era especulado, é um bom jogador que pode ajudar a seleção, mas nada de especial. Guardado é outra peça importante que pode desequilibrar para o representante da CONCACAF, o México dará trabalho para Brasil e Itália. Lembrando que o México venceu a competição em 1999.


Técnico – Alberto Zaccheroni.

Elenco – Goleiros: Eiji Kawashima (Standard Liege), Shusaku Nishikawa (Sanfrecce Hiroshima), Shuichi Gonda (FC Tokyo).
Defensores: Yasuyuki Konno (Gamba Osaka), Yuzo Kurihara (Yokohama Marinos), Masahiko Inoha (Jubilo Iwata), Yuto Nagatomo (Inter de Milão), Atsuto Uchida (Schalke 04), Maya Yoshida (Southampton), Hiroki Sakai (Hannover 96), Gotoku Sakai (Stuttgart).
Meias: Yasuhito Endo (Gamba Osaka), Kengo Nakamura (Kawasaki Frontale), Makoto Hasebe (Wolfsburg), Hajime Hosogai (Bayer Leverkusen), Keisuke Honda (CSKA), Hideto Takahashi (FC Tokyo).
Atacantes: Ryoichi Maeda (Jubilo Iwata), Shinji Okazaki (Stuttgart), Mike Havenaar (Vitesse), Takashi Inui (Eintracht Frankfurt), Shinji Kagawa (Manchester United), Hiroshi Kiyotake (Nuremberg).

Principal jogador – Kagawa.

Títulos na competição – Nenhum.

Já garantido no Mundial, Japão vem para a briga nas
Confederações. (UOL)
Completando o bom grupo A, o Japão tem uma pedreira logo na estreia, vai enfrentar o Brasil no jogo de abertura da copa. Para a difícil missão de dar sequencia ao bom momento que vive o país asiático, a federação contratou o experiente e bom técnico italiano Alberto Zaccheroni, que conta com o ótimo futebol de Honda, Kagawa, Hasebe e mais uma penca de bons jogadores. A seleção jamais conquistou a competição, e deve continuar sem conquistar, isso porque a concorrência é enorme e o grupo é muito complicado, o Japão deve apenas fazer figuração no torneio.

Grupo B



Técnico – Vicente Del Bosque.

Elenco – Goleiros: Iker Casillas (Real Madrid) ©, José Manuel Reina (Liverpool), Víctor Valdés (Barcelona).
Defensores: Álvaro Arbeloa (Real Madrid), César Azpilicueta (Chelsea), Gerard Piqué (Barcelona), Raúl Albiol (Real Madrid),
Sergio Ramos (Real Madrid), Jordi Alba (Barcelona), Ignacio Monreal (Arsenal).
Meio-campistas: Sergio Busquets (Barcelona), Javier Martínez (Bayern de Munique), Xavi Hernández (Barcelona), Santiago Cazorla (Arsenal), Andrés Iniesta (Barcelona), Jesús Navas (Manchester City), David Silva (Manchester City), Juan Mata (Chelsea).
Atacantes: Pedro Rodríguez (Barcelona), Cesc Fábregas (Barcelona), Roberto Soldado (Valencia), David Villa (Barcelona), Fernando Torres (Chelsea).

Principal jogador – Andrés Iniesta.

Títulos na competição – Nenhum.

Melhor do mundo, Espanha deve priorizar o torneio?
(UOL)
Número 1 do ranking da FIFA, a Espanha garantiu a vaga por duas competições, primeiro foi a conquista da Copa da África, segundo foi o bicampeonato da Eurocopa, o time espanhol fez e faz bonito, chega como a grande favorita a conquista da Copa das Confederações e da Copa do Mundo. O grande problema é que a seleção europeia não dá muita importância para o torneio, tanto que foi eliminada de maneira desastrosa na edição de 2009, uma derrota para a seleção norte americana na semifinal e não pode nem disputar a final.

A eliminação não foi problema para a Fúria, que conquistou a Copa do Mundo no ano seguinte e a Euro 2012, a certeza é que os vermelhos virão mais focados e preparados para conquistar o título, é lógico que perder Xabi Alonso às vésperas da competição foi realmente uma tragédia, mas Vicente Del Bosque tem substitutos à altura, o time espanhol não deve ter problemas no seu grupo, terá um jogo difícil contra o Uruguai e molezas contra Nigéria e Taiti, com certeza veio para a briga.



Técnico – Óscar Tabárez.

Elenco – Goleiros: Fernando Muslera (Galatasaray, TUR), Martín Silva (Olimpia, PAR) y Juan Castillo (Danubio, URU).
Defesa: Diego Lugano (Málaga, ESP) ©, Diego Godín (Atlético de Madri, ESP), Sebastián Coates (Liverpool, ING), Martín Cáceres (Juventus, ITA), Mathías Aguirregaray (Peñarol, URU), Maximiliano Pereira (Benfica, PAR), Andrés Scotti.
Meio-campo: Alvaro González (Lazio, ITA), Alvaro Pereira (Inter, ITA), Egidio Arévalo Ríos (Palermo, ITA), Diego Pérez (Bologna, ITA), Walter Gargano (Inter, ITA), Sebastián Eguren (Libertad, PAR), Cristian Rodríguez (Atlético de Madrid, ESP), Gastón Ramírez (Southampton, ING), Nicolás Lodeiro (Botafogo, BRA).
Ataque: Luis Suárez (Liverpool, ING), Edinson Cavani (Napoli, ITA), Diego Forlán (Internacional, BRA), Abel Hernández (Palermo, ITA).

Principal jogador – Luis Suárez.

Títulos na competição – Nenhum.

Suárez garante vitória contra a França. (O Globo)
Debutando na competição, o Uruguai vem forte e muito embalado, a seleção foi a grande surpresa da Copa de 2010, sendo a melhor seleção da América na ocasião, inclusive com Diego Forlán sendo eleito melhor jogador do torneio. Confirmando a boa fase, Forlán e Cia deram um show em solo argentino e triunfaram na Copa América de 2011, conquistando o título e garantindo o acesso a Copa das Confederações.

Contudo Óscar Tabárez tem enfrentado problemas nas Eliminatórias, o Uruguai está apenas na zona da repescagem, precisa melhorar. Deixando as eliminatórias de lado, o time deve usar a raça característica e o retrospecto bom em copas, é realmente um time copeiro. Luis Suárez, Cavani e Diego Forlán são os destaques e darão trabalho aos espanhóis e aos demais. Pela valorização que os sulamericanos dão a competição, acredito que o Uruguai é o time pronto e grande favorito a conquista do torneio.



Técnico – Stephen Keshi.

Elenco – Goleiros: 23-Chigozie Agbim (Enugu Rangers), 16-Austin Ejide (Hapoel Beer Sheva) e 1-Vincent Enyeama (Maccabi Tel Aviv)
Defensores: 5-Efe Ambrose (Celtic), 21-Francis Benjamin (Heartland FC), 3-Elderson Echiejile (Sporting Braga), 6-Azubuike Egwuekwe (Warri Wolves), 12-Solomon Kwambe, 2-Godfrey Oboabona (ambos do Sunshine Stars) e 22-Kenneth Omeruo (ADO Den Haag)
Meio-campistas: 18-Emeka Eze (Enugu Rangers), 10-John Obi Mikel (Chelsea) ©, 13-Fegor Ogude (Valerenga), 4-John Ogu (Acadêmica Coimbra), 17-Ogenyi Onazi (Lazio) e 19-Sunday Mba (Enugu Rangers)
Atacantes: 9-Joseph Akpala (Werder Bremen), 15-Michael Babatunde (FC Kryvbas), 11-Muhammad Gambo (Kano Pillars), 8-Brown Ideye (Dynamo Kiev), 7-Ahmed Musa (CSKA Moscow), 20-Nnamdi Oduamadi (Varese) e 14-Anthony Ujah (FC Cologne)

Principal jogador – Obi Mikel.

Títulos na competição – Nenhum.

Estrelas que conquistaram a Copa Africana ficaram de fora.
(AFP)
Uma das surpresas na competição, a seleção nigeriana sofreu para conquistar a Copa Africana de Nações e ganhou a vaga como prêmio maior pelo título. A seleção é bastante limitada, é difícil dizer que com esse elenco, a seleção tenha a capacidade de ser a zebra africana no torneio, Uruguai e Espanha tem de estar muito mal para que isso aconteça, todavia a seleção nigeriana deve terminar na terceira colocação. Obi Mikel e Akpala são os destaques da equipe, isso porque inacreditavelmente os grandes nomes não foram convocados, como Martins, Moses e Odemwingie. A Nigéria cai na fase de grupos.



Técnico – Eddy Etaeta.

Elenco – Goleiros: Gilbert Meriel (Tefana), Mikaël Roche (Dragon), Xavier Samin (Dragon);
Defensores: Rainui Aroita (Tamarii), Edson Lemaire (Dragon), Teheivarii Ludivion (Tefana), Stéphane Faatiarau (Tefana), Vincent Simon (Dragon), Nicolas Vallar (Dragon) ©, Yannick Vero (Dragon), Tamatoa Wagemann (Dragon);
Meias: Ricky Aitamai (Vénus), Stanley Atani (Tefana), Heimano Bourebare (Tefana), Henri Caroine (Dragon), Alvin Tehau (Tefana), Jonathan Tehau (Tamarii), Lorenzo Tehau (Tefana), Yoann Tihoni (Roniu);
Atacantes: Steevy Chong-Hue (Dragon), Samuel Hnanyine (Dragon), Teaonui Tehau (Dragon) e Marama Vahirua (Panthrakikos).

Principal jogador – Nicolas Vallar.

Títulos – Nenhum.

Com um uniforme pra lá de exótico, Taiti pousa no Brasil.
(O Tempo)
São poucos os jogadores que atuam profissionalmente, está aí já é um grande lucro, a seleção taitiana veio conhecer o Brasil, é a primeira participação do país em uma competição internacional. Conquistou o título na Oceania e veio sofrer um pouquinho no grupo B da Copa das Confederações. Sem investimento no esporte, o Taiti surpreende à todos por estar aqui, mas vai penar no grupo, é o maior candidato a protagonizar goleadas, Espanha e Uruguai se preparem, a disputa é para quem consegue um saldo maior no fim da chave.

A Copa das Confederações começa neste sábado com o grupo A, no domingo, o grupo B entre em cena, a Tribuna cola no torneio de seleção do ano, o Brasil é palco do grande “tapa buraco” da FIFA, que apesar de curto e um pouco sem graça, não deixa de dar emoção para todos os apaixonados pelo esporte, fiquem ligados, nós não deixaremos nada passar, é a Copa das Confederações aqui na Tribuna.


Palpite: Uruguai.