segunda-feira, 24 de junho de 2013

Jordi Alba e mais 10, Espanha vence e Uruguai atropela

Grupo B:

Espanha 3 x 0 Nigéria:

Encerrando sua participação na primeira fase em grande estilo, a Espanha venceu com tranquilidade a seleção nigeriana, um 3 a 0 para lá de tranquilo, apesar de alguns “sustos”, é claro. O time de Vicente Del Bosque confirmou o favoritismo, terminou a fase de grupos líder e com 100% de aproveitamento, vai encarar a Itália, reeditando a final da última UEFA Euro, ocorrida no ano passado, naquela ocasião, os espanhóis mutilaram os italianos com uma vitória por 4 a 0, você pode rever esse jogo aqui em http://goo.gl/EW0Bt.
Fúria passa fácil e encara a Itália. (UOL/Tribuna do Cisco)

A Espanha começou o jogo mostrando porque seu apelido é Fúria, atacando incessantemente, os jogadores começaram uma belíssima troca de passes, iniciando com Valdés, passando pelos pés de muitos e parando em Iniesta, o craque espanhol passou para Alba, a “puguinha” espanhola fez linda jogada individual e abriu o placar, um dos gols mais bonitos da Copa até agora. Após sofrer o gol, os nigerianos tiveram várias oportunidades para igualar o marcador, mas a falta de habilidade e um pouco de nervosismo atrapalharam o time africano.

Torres, entrou e marcou. (EFE)
Pode se dizer que a Nigéria foi a única seleção que não teve medo da Espanha neste torneio, atuou de igual para igual, porém sabia que era inferior. A Espanha teve várias chances para ampliar na primeira etapa, mas os gols perdidos por Soldado e a bola na trave de Fàbregas permitiu que os nigerianos sonhassem com pelo menos um pontinho. Na etapa final, Del Bosque optou por um time mais ofensivo e menos cadenciado, David Silva, Fernando Torres e David Villa vieram à campo, no primeiro toque na bola, El Niño cabeceou para o gol no cruzamento de  Pedro (antes de deixar o campo para a entrada de Villa), o artilheiro da competição tem 5 gols e está a um de se igualar a Ronaldinho, o maior artilheiro da história da Copa das Confederações.

Aí foi a gota d’água, a Nigéria deixou o jogo de lado e permitiu que a Espanha dominasse a bola e o jogo. Nessa altura, a vitória estava garantida e o adversário na semifinal já era conhecido, a Itália. No último lance do jogo, Villa lançou um Jordi Alba muito veloz e livre de marcação, o veloz lateral do Barcelona correu, driblou Enyeama e deu números finais a partida, 3 a 0 e 100% de aproveitamento garantido, foi mais um belo futebol apresentado pela Fúria.

Destaque: Jordi Alba.

Ficha técnica:

Local: Arena Castelão, em Fortaleza (CE)

Data: 23 de junho de 2013, domingo

Horário: 16 horas (de Brasília)

Árbitro: Joel Aguilar (El Salvador)

Assistentes: William Torres e Juan Zumba (ambos de El Salvador)

GOLS: ESPANHA: Jordi Alba, aos 3 minutos do primeiro tempo e aos 43 minutos do segundo tempo. Fernando Torres, aos 16 minutos do segundo tempo

NIGÉRIA: Enyeama; Ambrose, Oboabona, Omeruo (Egwuekwe) e Echiejile; Mba (Ogu), Ogude e Mikel; Ideye, Akpala (Gambo) e Musa
Técnico: Stephen Keshi

ESPANHA: Valdes; Arbeloa, Piqué, Sergio Ramos e Jordi Alba; Busquets, Iniesta, Xavi e Fábregas (David Silva); Pedro (David Villa) e Soldado (Fernando Torres)
Técnico: Vicente del Bosque

Uruguai 8 x 0 Taiti:

Com a vitória para cima da Nigéria, a Celeste veio com uma boa vantagem contra os africanos, pois só precisava de uma vitória simples sobre o Taiti para selar sua classificação, justo porque a Espanha cuidaria do resto... e cuidou. Óscar Tabárez optou por colocar o time reserva, já visando a partida semifinal contra os brasileiros, o ataque foi composto por Abel Hernández, com Lodeiro, Pereira Ramírez apoiando o atacante.
Uruguai cumpre o prometido e também se classifica. (UOL/Tribuna do Cisco)

A seleção taitiana continuava limitada e mesmo o apoio das arquibancadas na Arena Pernambuco não adiantou, o Uruguai marcou com apenas um minuto de jogo, cobrança de escanteio, Scotti desviou e Hernández começou seu show particular, 1 a 0. A cada toque na bola era um aplauso e gritos de motivação, o Taiti realmente foi acolhido pelos torcedores brasileiros, mas isso não bastou, Hernández recebeu na área e deu um belíssimo chapéu em Terau, o autor do único gol taitiano no torneio nem viu a bola, lindo chapéu e linda finalização, 2 a 0 para a Celeste. Menos de um minuto depois foi a vez de Diego Pérez anotar o terceiro, bola na trave e o volante empurrou para o gol.

Simpático, Taiti deu adeus ao torneio. (Getty Images)
Já classificado, o Uruguai só treinava em campo, mas um zagueiro chamou atenção, Scotti, no melhor estilo Grosjean (piloto da Lotus, escuderia inglesa da F1), perdeu um pênalti e depois perdeu a cabeça, fez falta e tomou o segundo cartão amarelo, o zagueiro que é reserva de Lugano não enfrenta o Brasil na quarta-feira. O Taiti, que ainda não tinha tomado sequer um cartão amarelo também entrou na pilha do jogo e o ingênuo zagueiro Ludivion fez falta e sentiu o gostinho amargo de receber o segundo cartão amarelo, expulso!

Lodeiro marcou o quarto, o bom jogador do Botafogo fez uma boa partida. No segundo pênalti do jogo, os uruguaios já não tinham Scotti, então Abel Hernández, o cara do jogo bateu e converteu em gol, 5 a 0. Luis Suárez entrou na festa e deixou sua marca duas vezes, superando Forlán e se tornando maior artilheiro da história da Celeste. Fim de papo! 8 a 0 para o Uruguai, que festejou a classificação, vai enfrentar o Brasil em jogo duro, as duas últimas campeões da América. O Taiti teve uma participação pífia, como já era previsto, mas o time homenageou o Brasil assim que o jogo acabou, agradeceu pela acolhida e disseram “Nos fizeram sonhar”, uma bonita homenagem aos ainda amadores atletas taitianos.

Destaque: Abel Hernández.

Ficha técnica:

Local: Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata (PE)

Data: 23 de junho de 2013, domingo

Horário: 16 horas (de Brasília)

Árbitro: Pedro Proença (Portugal)

Assistentes: Bertino Miranda e José Trigo (ambos de Portugal)

Cartões amarelos: Gargano (Uruguai); Vallar e Chong-Hue (Taiti)

Cartões vermelhos: Scotti (Uruguai); Ludivion (Taiti)

Gols: URUGUAI: Abel Hernández, a um, 23 e 45, e Diego Pérez, aos 27 minutos do primeiro tempo; Lodeiro, aos 15, Abel Hernández (pênalti), aos 22, e Luis Suárez, aos 36 e aos 44 minutos do segundo tempo

URUGUAI: Martin Silva; Aguirregaray, Coates e Scotti; Eguren, Gargano, Diego Pérez, Lodeiro, Gaston Ramírez (Luis Suárez) e Álvaro Pereira; Abel Hernández
Técnico: Óscar Tabárez

TAITI: Meriel; Simon, Jonathan Tehau, Vallar, Ludivion e Aitamai (Lemaire); Caroine, Hnanyine (Tihoni), Vahirua e Chong-Hue; Lorenzo Tehau (Atani)

Técnico: Eddy Etaeta