quinta-feira, 20 de junho de 2013

Cem Vezes Forlán

Grupo B - Nigéria 1 x 2 Uruguai

Na mais africana das capitais brasileiras, a Nigéria estava em casa. Salvador abriu seus braços para receber os nigerianos e preparou um terreno hostil para que os Uruguais se sentissem no coração da África. Coração foi justamente o que não faltou na partida, especialmente por parte de um leão, que pela centésima vez, cedia sua pele para um certo manto celeste.

Em seu centésimo jogo, Forlán marca e dá a vitória a celeste. (Reuters/Tribuna do Cisco)
Forlán foi escalado como titular após começar no banco a partida anterior, contra a Espanha. Precisando da vitória, o técnico Óscar Tabárez escala um time para a frente, com seus três grandes astros à frente da equipe, além de Forlán, Luis Suárez e o grandalhão, porém habilidoso, Cavani. Do lado nigeriano, Obi Mikel, destaque absoluto do time, leva nas costas um time pesado, mas que tinha conseguido uma vitória contra o Taiti e tinha uma vantagem no grupo, ao lado de Mikel, a torcida.

Mas as milhares de vozes que gritaram pelos nigerianos não foram o suficiente para segurar a força da Celeste Olímpica. Logo no início do jogo, o zagueiro Lugano, velho conhecido dos brasileiros, acerta uma canelada na bola, após cruzamento, e abre o marcador, bem no momento em que a Nigéria tentava impor seu ritmo à partida. O que se seguiu ao gol uruguaio foi uma boa parte do primeiro tempo de domínio celeste, abalado apenas nos quinze minutos finais da etapa. O mesmo Lugano, que havia aberto o placar - mas que cometera muitos erros e estava totalmente atabalhoado em campo - leva um corte genial de Obi Mikel, após jogada trabalhada pela equipe, finalizada com um arremate certeiro, Muslera só pulou para não ficar feio.


A Nigéria passou então a dominar o jogo e até o final do primeiro tempo, o Uruguai teve que suportar a pressão ofensiva e fisicamente muito dura dos nigerianos. Em meio a muitos erros e confusão, a defesa Celeste deu sorte e se segurou, em meio a um jogo apagadíssimo do ataque.


O segundo tempo poderia ter se tornado uma continuação lógica do primeiro. A Nigéria agradecia o apoio da torcida e tentava enpurrar o Uruguai para o campo de defesa. No entanto, após um contra-ataque rápido, que contou com a participação dos três homens de frente, a bola sobrou para o Leão, Forlán, que enfiou o pé na bola e a mandou diretamente para o ângulo esquerdo dos africanos, um golaço. Assim como tinha acontecido com o italiano Prilo, na rodada anterior, Forlán desequilibrou e decidiu a partida em seu jogo de número 100 pela seleção.

Lugano abriu o placar para o Uruguai.

Depois do gol, Forlán regulou o pé, e passou a fazer uma boa distribuição das jogadas uruguaias, mas os seus companheiros de ataque não colaboravam. O ótimo Cavani não acertou uma até o fim do jogo. Os erros de Suáreaz duraram menos, pois o atacante foi substituído por Coates, por volta dos 30 minutos, e saiu bastante irritado.

Com tantos erros, a Nigéria voltou a se organizar, e ameaçou alguma pressão contra os sulamericanos, que seguraram tal força com muitas faltas, que resultaram, inclusive, em alguns cartões amarelos. Entretanto, não teve escapatória, os nigerianos, em campo e na arquibancada, saem de campo derrotados. O Uruguai, de Forlán, encaminham a sua classificação, e esperam decidir tudo em campo, contra o fraco Taiti, num jogo em que o ataque será fundamental, e deve mostrar mais serviço do que hoje.

Destaque: Diego Forlán.

Ficha técnica:

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)

Data: 20 de junho de 2013 (quinta-feira)

Horário: 19 horas (de Brasília)

Árbitro: Bjorn Kuipers (Holanda)

Assistentes: Sander van Roekel e Erwin Zeinstra (ambos da Holanda)

Cartões amarelos: Babatunde e Akpala (Nigéria); Coates e Lugano (Uruguai)

Gols:
NIGÉRIA: Obi Mikel, aos 36 minutos do primeiro tempo
URUGUAI: Lugano, aos 18 minutos do primeiro tempo; Forlán, aos cinco minutos do segundo tempo

NIGÉRIA: Enyeama; Ambrose, Oboabona, Omeruo e Echiéjilé; Ogu (Mba), Ogude, Mikel e Musa; Ideye (Akpala) e Oduamadi (Babatunde)
Técnico: Stephen Keshi

URUGUAI: Muslera; Pereira, Lugano, Godín e Cáceres; Arévalo Ríos, González, Rodríguez e Forlán; Suárez (Coates) e Cavani
Técnico: Óscar Tabárez