quinta-feira, 27 de junho de 2013

Até Jesús quer ver

Semifinal – Espanha 0(7) x 0(6) Itália:

Não teve jeito, o jogo que todos queriam ver vai mesmo acontecer, Brasil e Espanha farão a grande final da Copa das Confederações no domingo, um jogo digno de Maracanã. Na reedição da final da Euro do ano passado, os espanhóis levaram a melhor, mas dessa vez o jogo foi muito mais duro, com vitória da Fúria nas penalidades. A Itália surpreendeu à todos, mesmo desfalcado, o time jogou de igual para igual e por pouco não marcou no tempo normal e na prorrogação, porém, com o resultado, a Azzurra vai disputar o terceiro lugar com o Uruguai, a disputa mais amarga de todas as competições.
Jesús Navas converte o pênalti final e garante a Espanha. (Marca/Tribuna do Cisco)

No início, uma grande surpresa, os italianos jogando de igual para igual, ninguém entendeu o porquê da Espanha entrar tão mal, não conseguiu rodar a bola, poderia o time bicampeão da Europa e campeão do mundo está nervoso? A partida foi se desenrolando e os italianos seguiam melhor, apesar da boa partida de Fernando Torres, que jogou no lugar de Soldado, vetado pelo departamento médico. A cada toque na bola, a torcida gritava o famoso “olé”, os jogadores da Itália estavam em casa, Pirlo jogava com maestria, enquanto Xavi sentia pressão.

Bonucci isola e elimina a Itália. (Reuters)
O maior destaque espanhol foi a presença de Shakira nas arquibancadas, a musa torcia pelo marido Piqué, que respondia no campo, atacando e defendendo. Vale destacar a boa partida de Pirlo, o volante como sempre fez bela partida, o lateral Maggio, que anulou Alba por completo Giaccherini, o bom meia da Juventus foi o grande destaque do jogo, colocando até bola na trave. Pela Espanha, Iniesta respondeu a boa partida de Pirlo provando que realmente é o grande destaque dessa sua seleção.

No tempo normal, nada de gols, apesar das boas oportunidades para ambos os lados. Pelo lado espanhol, entraram Navas, Martínez e Mata. Aquilani, Montolivo e Giovinco foram colocados por Prandelli, veio a prorrogação, boas chances para os dois, com superioridade espanhola, apesar da bola na trave de Giaccherini. Piqué e Sérgio Ramos perderam várias chances, isolando a bola. Martínez tentou de letra, mas a bola passou longe, Iniesta fez boa jogada e a bola teimou em não entrar. A Azzurra segurou até o apito final de Howard Webb, 0 a 0 e teríamos a primeira disputa por pênaltis nesta Copa das Confederações.

O primeiro a cobrar foi Candreva, o ousado meia da Lazio meteu cavadinha, surpreendendo Casillas e bola na rede. Xavi respondeu cobrando colocado, 1 a 1. Aquilani, De Rossi, Giovinco, Pirlo e Montolivo converteram para os italianos, colocando muita pressão para a Espanha. Mas quem disse que os espanhóis tremem em disputa por pênaltis? Nada disso, Iniesta, Piqué, Sérgio Ramos, Mata e Busquets empataram a cada rodada. Foi a vez do zagueiro Bonucci, o jogador da Juventus tinha a obrigação de marcar, para não permitir que a Espanha tivesse a chance nos pés, mas permitiu! Bonucci chutou de maneira desesperada, isolou, comemoração para o lado da Fúria. Jesús Navas tinha a grande chance de colocar a Espanha na final, o novo contratado do Manchester City não decepcionou, converteu e garantiu o clássico Brasil e Espanha para o domingo à noite, 7 a 6.
Só falta um! Espanha próxima do seu primeiro título da Copa das Confederações. (André Durão)

Os pontos negativos nas cobranças foram as más atuações dos dois goleiros, Buffon e Casillas mal foram para a bola, deixando mais fácil para os batedores. O ponto positivo foi a tranquilidade e maturidade dos espanhóis. Com os finalistas definidos, todos aguardam o domingo, Brasil e Espanha, enfim farão o tira-teima, de um lado, a maior seleção de todos os tempos, do outro, a grande seleção dos últimos anos, o mundo vai parar!

Destaque: Giaccherini.

Ficha técnica:

Local: Estádio Castelão, em Fortaleza (CE)

Data: 27 de junho de 2013, quinta-feira

Horário: 16 horas (de Brasília)

Árbitro: Howard Webb (Inglaterra)

Assistentes: Michael Mullarkey e Darren Cann (Inglaterra)

Cartões amarelos: De Rossi (ITA); Piqué (ESP)

Pênaltis:

ESPANHA: Xavi, Iniesta, Piqué, Sérgio Ramos, Mata, Busquets e Navas converteram;

ITÁLIA: Candreva, Aquilani, De Rossi, Giovinco, Pirlo e Montolivo converteram; Bonucci desperdiçou;

ESPANHA: Casillas; Arbeloa, Sérgio Ramos, Piqué e Jordi Alba; Busquets, Xavi, Iniesta e David Silva (Jesus Navas); Pedro (Mata) e Fernando Torres (Javi Martinez).
Técnico:Vicente Del Bosque

ITÁLIA: Buffon; Bonucci, Chiellini e Barzagli (Montolivo); Maggio, De Rossi, Pirlo, Marchisio (Aquilani), Giaccherini e Candreva; Gilardino (Giovinco).

Técnico: Cesare Prandelli