segunda-feira, 13 de maio de 2013

Goodbye, Sir!

A nossa singela homenagem ao maior técnico de todos os tempos. (Tribuna do Cisco)

Por José Pereira:

“No começo, fui só um jogador medíocre. Antes, era apenas técnico com potencial. Hoje, sou o principal responsável por transformar o Manchester United no maior time da Inglaterra. Agora, me aposento para ser o melhor treinador de todos os tempos.” Bem, fico me perguntando se teria um resumo melhor do que esse para falar sobre Sir Alex Ferguson. O escocês criou, mudou, reinventou, sustentou, organizou e trabalhou, aliás, trabalhou muito! Mudou-se do futebol escocês para o inglês e nunca mais saiu.

É impressionante como o futebol não dá tanta atenção aos seus grandes treinadores, por exemplo, todos sempre falam sobre Rinus Michels e o seu carrossel holandês; Johan Cruijff e seu Dream Team; atualmente de Pep Guardiola e seu Barça mágico; Telê Santana e sua genialidade. Temos outros muitos feitos de treinadores tão conhecidos quanto os acima citados, mas que acabam sendo esquecidos, ou você acha que classificar cinco diferentes seleções para uma copa do mundo é coisa simples? Só Bora Milutinovic tem a resposta para esse feito.

David Moyes tem a difícil tarefa de substituir um Sir.
(EPA/Tribuna do Cisco)
Porém, o nome de Ferguson está blindado a qualquer crítica, a qualquer dúvida, a qualquer estatística. Ferguson conquistou duas UCL, treze títulos da liga e cinco copas da Inglaterra. Além de campeonatos escoceses, supercopas, recopas, copa da liga e outros. Apesar de um controle abusivo, transformando também ele no maior ditador sentado em um banco à beira do campo, dono de uma arrogância e teimosia insuperáveis. Mesmo com todos esses tipos de problemas, Ferg venceu, convenceu e virou história.

Todos os fãs e torcedores do Manchester United devem muito ao Turrão. Porém, ele é muito mais que um clube, ele é um símbolo do futebol. Então, como um fã do esporte mais popular do mundo, agradeço ter tido a oportunidade de ver seus diabos vermelhos jogarem e ganharem.

Por fim, não há mais nada a dizer além de “Thank you, Sir.”.

Por Cisco Nobre:

Uma lenda, presença garantida nas nossas televisões a cada temporada, são 27 anos de Manchester United, com direito a 38 títulos, uma marca fora de série, o que mais se pode falar de Sir Alex Ferguson? A história do Manchester é extensa, mas muito ela se deve ao Ferg, que colocou o time no topo do futebol inglês, ultrapassando o até o glorioso e épico clube vermelho de Liverpool.

Cristiano Ronaldo foi a maior realização de Ferg entre os jogadores. (AFP/Tribuna do Cisco)
Ainda falando do seu currículo, Sir Alex apresentou para o mundo nomes como Peter Schmeichel, Roy Keane, David Beckham, Paul Scholes, Ryan Giggs, Denis Irwin, Paul Ince, e além deles, Ferguson apostou bem em várias promessas, tornando elas uma boa realidade, Cristiano Ronaldo, Van Nistelrooy, Wayne Rooney, Rio Ferdinand, Ole Gunnar Solskjær, Robin Van Persie, etc.

Fico imaginando como vai ser sentar para apreciar um bom jogo no Teatro dos Sonhos (apelido carinhoso para o Old Trafford, mítico estádio do Manchester United) e não observar aquele senhor mascando chiclete, reclamando com a arbitragem e sendo aplaudido por milhares de fanáticos dos Red Devils e do futebol. A pessoa e a história de Sir Ferg é tão épica que todos os seus companheiros de profissão, os clubes rivais e vários ex e atuais jogadores comentaram sobre o assunto, parabenizando e homenageando o técnico, até o presidente da FIFA, que eu me recuso citar o nome, prestou homenagem.

Ferguson se aposenta junto a Paul Scholes, será importantíssimo assistir os momentos finais de tantas lendas em um só time, vão deixar muitas saudades e um legado invejável. David Moyes (atual técnico do Everton) aceitou o desafio e substituir Sir Ferguson na difícil missão de continuar com a história do Manchester United, o jovem treinador terá sua primeira chance em um clube de ponta.

Não há mais adjetivos para a brilhante carreira de Sir Alex Ferguson, o escocês que, apesar de arrogante em certos momentos, sempre teve humildade para falar que os jogadores que ele treinou foram muito melhores do que o próprio, ele “deixa a carreira para ficar na história”, aqui fica o nosso agradecimento pelo que ele fez pelo futebol, Goodbye, Sir!


Por Fábio Nobre:

O que faz um Sir? Que características deve ter um homem para que seja agraciado com um título tão alto de nobreza e valor? Desde 1995, Alex Ferguson é um membro dos "Cavaleiros Comandantes da Mui Excelente Ordem do Império Britânico". Segundo o renomado dicionário Webster, o título de Sir é o título nobiliárquico britânico superior a baronete, inferior a barão, e significa aquele que tem domínio sobre algo ou alguém.

Oras, nada mais precisa ser dito e quaisquer argumento discordante do merecimento de tal título, por Ferguson, perde força, se analisarmos a essência do mesmo. Se há algo que o senhor Alexander Chapman Ferguson teve, durante toda a sua carreira como treinador, é domínio, sobre algo e alguém. Duvida? Pois muito bem, apresento aos senhores três razões pelas quais Alex Ferguson é um tremendo de um Sir.

1 – Domínio sobre o clube:

Como se não bastasse ser um estrategista genial e um treinador de primeira classe, Sir Alex Ferguson acumulou, ao longo desses anos, o cargo de manager, no Manchester United. Isso significa que foi o responsável por todas as transferências nas quais o clube esteve envolvido, cuidando de descobrir craques e se livrar de problemas. Além de fazer compras e vendas que sempre levaram a um grande custo-benefício para a equipe.

Em um pequeno levantamento feito, originalmente, pela Fox Sports inglesa, podemos observar o grande desempenho financeiro atingido pelo Sir, no quesito transferências, observem:



Convenhamos, quem lucra a um time 226 milhões de Libras, além de trazer inúmeros títulos, merece o título de Sir que possui.

  
2 – Domínio sobre o vestiário:

Quando chegou ao Manchester United, em 1986, Alex Ferguson encontrou um quadro de indisciplina terrível. Craques como Norman Whiteside, Paul McGrath and Bryan Robson estavam com graves problemas com bebidas e o time amargava o penúltimo lugar na tabela. Ferguson foi capaz de impor um novo sistema de comando no clube, e o Manchester conseguiu a décima primeira colocação, ao fim da temporada.

Com um início desse calibre, estava definido, Ferguson passou a ser o dono do vestiário vermelho, e começou a exercer com maestria o seu domínio sobre o vestiário do clube. Ao longo de seu período como treinador do clube, o Sir teve problemas com inúmeros dos grandes astros que habitavam Old Trafford, como David Beckham, em quem arremessou um par de chuteiras, ferindo-lha o supercílio. A lista de jogadores que entraram em atrito com Ferguson não é pequena, e conta com nomes com como Gordon Strachan, Paul McGrath, Paul Ince, Andriy Kančelskis, Jaap Stam, Dwight Yorke, Diego Forlan, Roy Keane e Ruud van Nistelrooy. A sua postura disciplinadora é considerada um dos principais motivos para o bom comportamento de astros problemáticos dentro do clube, e tornam o Sir o dono do vestiário dos Red Devils.


3 – Domínio sobre o futebol inglês:

Em 27 anos de Manchester, Ferguson conseguiu feitos extraordinários, uma série de títulos inimaginável e um respeito imenso, na Inglaterra e em toda a Europa. Sob a batuta do Sir, o United jogou 1499 partidas, das quais venceu 895, empatou 337, e perdeu apenas 267, um aproveitamento assombroso, distribuído em quase trinta anos.

A última imagem de Sir Alex como técnico dos Diabos Vermelhos. (Premier League/Tribuna do Cisco)
Ferguson arrebatou 13 Campeonatos Ingleses, 10 Copas da Inglaterra, 4 Copas da Liga Inglesa, 7 Supercopas da Inglaterra, além de diversos títulos europeus, como as duas Uefa Champions League, em 1999 e em 2008. Alex Ferguson é um colecionador de Taças e um destruidor de adversários, que dominou o futebol, na Inglaterra, nas últimas duas décadas e meia.