domingo, 5 de maio de 2013

Brasil na América: 9° Episódio

Atlético começa a segunda fase como terminou a primeira, voando.  (Atlético Mineiro/Tribuna do Cisco)

Tijuana 0 x 0 Palmeiras: O mais desacreditado dos brasileiros foi o primeiro a entrar em campo pelas oitavas de final, o adversário era o Tijuana, time que conseguiu vencer o Corinthians na fase de grupos, ou seja, era uma parada dura para o Verdão. Com Fernando Prass machucado, Bruno assumiu o posto de titular do time de Gilson Kleina e dessa vez ele agradou.


Charles disputa a bola, Verdão próximo das quartas.
 (EFE/Tribuna do Cisco)
A grama sintética até poderia ter atrapalhado, mas não foi isso que aconteceu, o Tijuana foi melhor, com um Palmeiras um pouco acanhado, mas jogou de igual para igual. A partida foi razoável, muitas chances desperdiçadas e um Verdão bastante fechado, afinal de contas, um empate fora de casa era até um placar bom.

O atacante Kléber foi titular, o camisa nove ainda não conseguiu fazer uma boa partida, diferentemente de Tiago Real, o jovem meia que veio do Joinvile tem sido muito útil ao esquema de Kleina e fez uma bela exibição, mas o placar terminou como começou, 0 a 0 e a decisão ficou para o Pacaembu. O Palmeiras tem a vantagem de jogar em casa, o time tem que permanecer firme e ir para cima dos mexicanos, com o apoio da torcida e a raça que vem apresentando, acredito que o Verdão consiga a classificação.

Boca Juniors 1 x 0 Corinthians: Reeditando a grande final da temporada passada, o Corinthians foi até La Bombonera encarar o histórico Boca Juniors. O time argentino não é mais essas coisas e se na temporada passada já estava fraco, nessa temporada o elenco é pior, muito enfraquecido e com um Riquelme que só atua quando quer. Todavia o lendário técnico Carlos Bianchi retornou ao clube e é o grande motivador da equipe na atual Taça Libertadores.

A partida do Corinthians foi lamentável, apático e irreconhecível, o time de Tite não entrou em campo e viu o limitado elenco do Boca se sobressair. Muitos jogadores que atuaram na final do ano passado estavam em campo e o clima estava quente. Herói da final no ano passado, Romarinho começou jogando, mas não teve o mesmo desempenho e saiu para a entrada de Pato, que também não jogou bem.
Blandi marca e o Boca vence o Timão.
(EFE/Tribuna do Cisco)

O castigo veio na segunda etapa, quando a bola foi cruzada e Blandi completou para o gol, 1 a 0 e festa argentina em Bombonera. O Boca ainda marcou mais um, porém o gol foi anulado pois Ledesma estava em posição irregular, o curioso foi que o meia não ouviu o apito do árbitro e saiu comemorando, pobre argentino.

A derrota não abala o time paulista que terá a força de sua casa para novamente vencer o Boca e se classificar para as quartas de final. Contudo o adversário é muito complicado, é visível a semelhança com o Fluminense na temporada passada, onde o Boca conseguiu eliminar o time carioca nos minutos finais, vai ser um jogo de tirar o fôlego.

Imortais festejam a vitória, Grêmio também está
 próximo das quartas. (AFP/Tribuna do Cisco)
Grêmio 2 x 1 Santa Fé: Após uma classificação sofrida na fase de grupos, o Grêmio sofreu um forte baque antes de entrar em campo contra o Santa Fé, isso porquê o técnico Vanderlei Luxemburgo foi punido pela Conmebol e está suspenso por 6 jogos, o ex-jogador Roger assume o time interinamente. Contudo o meia Elano retornou de uma grave lesão e comandou o time imortal no jogo duro contra os colombianos.

O time gaúcho pressionava bastante e o primeiro gol foi marcado por Eduardo Vargas, o chileno que ainda não engrenou, recebeu um cruzamento na medida de Alex Telles e cabeceou para o gol, 1 a 0 e alívio na Arena. No segundo tempo, o Grêmio voltou meio que nervoso, a bola iria sair, mas Cris perdeu na corrida para Cuero e acabou fazendo pênalti, que gerou mais uma expulsão ao experiente zagueiro e a situação do time gaúcho começava a preocupar, O time recebeu o castigo logo aos 11 minutos, quando Omar Pérez empatou a peleja no pênalti.

O jogo parecia definido, só um lance inovador faria o placar mudar... e aconteceu! A bola sobrou limpa e sem marcação para Fernando, o volante fuzilou para o gol e marcou bonito, 2 a 1 e vitória gremista. Os gaúchos terão que tomar muito cuidado na volta, pois sofreu o gol em sua casa, ou seja, precisa urgentemente marcar um gol em Bogotá para ter a tranquilidade necessária.

São Paulo 1 x 2 Atlético Mineiro: No grande clássico da rodada, São Paulo e Atlético fizeram um jogo de tirar o fôlego, os paulistas, que ainda não podem contar com Luís Fabiano, entraram em campo muito bem e começaram jogando com muita velocidade. Ganso e Jádson estavam voando e guiaram o tricolor paulista ao caminho do gol, bela jogada do meio campo tricolor a bola foi rolada para Jádson, resultado: gol do São Paulo e Morumbi em estado de êxtase. O São Paulo tentou manter a mesma pegada, mas sofreu uma grande perda após marcar, Aloísio sofreu uma lesão na virilha direita e foi substituído por Ademilson, o menino perdeu muitas, mas muitas oportunidades e não conseguiu ampliar para o time de Ney Franco.

A torcida ficou mais apreensiva quando o experiente e seguro zagueiro Lúcio deu um pontapé em Bernard, expulsão direta, assim como o zagueiro Cris, Lúcio passa por uma fase muito esquisita, parece que os dois estão retrocedendo, ruim para os clubes que investiram e ruim para os atletas que perdem mercado. Após a expulsão do zagueiro o São Paulo não conseguiu mais jogar futebol, Ademilson, que entrou no lugar de Aloísio, teve que deixar o campo e deu lugar a Rhodolfo, afinal de contas, Ney Franco precisava fechar o time, porém os esforços de Ney não adiantaram e numa cobrança de escanteio, Ronaldinho cabeceou com precisão, enganou a defesa e empatou o jogo, o Galo estava de volta ao jogo.
É meus amigos, Ney Franco tem problemas.
(UOL/Tribuna do Cisco)

Na segunda etapa, o São Paulo continuou nervoso e viu o jogo desmoronar, pois o Atlético contava com um quarteto multifuncional, Ronaldinho, Bernard, Tardelli e Jô. Vários contra-ataques fulminantes e o Galo virou o placar num deles, uma boa trama do ataque mineiro resultou num passe impecável para Diego Tardelli, que chutou e venceu Rogério Ceni, o atacante marcava contra o clube que o revelou e só não comemorou de maneira eufórica porque sofreu com câimbras, 2 a 1 e vantagem enorme para o time de Cuca.

O São Paulo nadou, nadou, mas morreu na praia, derrota e com direito a dois gols fora de casa, o tricolor está muito próximo de ser eliminado na Taça Libertadores. O Galo segue firme e pode resolver a partida na Arena Independência, Ronaldinho e companhia estão com um pé na fase de quartas de final, essas grandes exibições colocam o Atlético como favorito na briga pelo título.

Emelec 2 x 1 Fluminense: No melhor estilo Corinthians de entrar em campo, o Fluminense praticamente não jogou contra o Emelec, mas mesmo assim a desvantagem não é tão grande. A pressão equatoriana era grande, mas a defesa do tricolor se segurava, foram quase dez minutos de pressão até o gol sair, o jovem lateral Vera cruzou e Leandro Euzébio completou contra a sua própria rede, 1 a 0 para o Emelec.

O Fluminense se recuperou, parece que a máquina só ligou quando o time tomou o gol, a pressão virou de lado e o time de Abel tentava empatar antes de acabar o primeiro tempo, as oportunidades apareceram, mas só saiu nos minutos finais da primeira etapa, quando Wagner recebeu na entrada da área e acertou um belo chute, era o empate tricolor.
Wagner marca e alivia para o Flu. (AFP/Tribuna do Cisco)

Na etapa final, o Fluminense voltou muito bem e foi em busca da virada. A pressão sobre o árbitro colombiano foi imensa e o covarde inventou um pênalti para os equatorianos nos instantes finais da partida, Carlinhos “derrubou” o adversário e viu Gaibor decretar a vitória do time do Equador, 2 a 1.A vitória dá vantagem ao Emelec, mas é claro que o Fluminense vai com tudo no jogo de volta e também deve se classificar. As chances dos brasileiros se classificarem são enormes, exceto um, que deve ser o São Paulo, porém os times continuam de parabéns, voltamos na próxima semana com o décimo episódio.