sábado, 25 de maio de 2013

Brasil na América: 12° Episódio

Atlético vai do inferno ao céu e se aproxima da semi. (AFP/Tribuna do Cisco)

Flu joga melhor, mas não consegue marcar.
 (UOL/Tribuna do Cisco)
Fluminense 0 x 0 Olimpia: Apesar do futebol razoável, o Fluminense conseguiu se classificar para as quartas de final, o adversário era muito complicado, o histórico Olimpia faz um bom campeonato, tem o segundo melhor ataque da competição, ou seja, daria trabalho. A partida foi em São Januário, já que o Engenhão continua interditado e o Maracanã só é utilizado para jogos políticos, mas a torcida tricolor marcou presença e apoiou o time.

Abel optou por um time bem veloz, com Nem e Rhayner de pontas e Fred isolado no ataque, a armação era por conta de Wagner, o Olimpia entrou bem defensivo, esperando o Flu chegar e tentar dá o bote. O Fluzão foi à luta e atacou bastante, mas o gol não queria sair de jeito nenhum, Leandro Euzébio perdeu uma chance incrível, Rhayner driblou o goleiro Silva e tropeçou de maneira bizarra, lance lamentável.

O Olimpia não deu tanto sinal de vida, além de não querer jogar, ele atrapalhava bastante a vida do tricolor, uma estratégia interessante do técnico Ever Almeida. Abel ficou preocupado, muito porque o Flu jogava muito bem, pra frente, porém não conseguia concluir em gol, Sóbis, um dos destaques do time carioca nesse primeiro semestre, foi chamado e entrou no lugar do lateral Bruno, Abelão mandou o time ir atrás de pelo menos um gol. Felipe entrou no lugar de Wagner, mas também não conseguiu armar boas jogadas, não era o dia do ataque do Fluminense, 0 a 0 foi o placar final.

Na próxima quarta-feira o Fluminense vai a Assunção para resolver sua vida contra o Olimpia, um jogo nada fácil, o time paraguaio tem o segundo melhor ataque da Libertadores e em casa é quase inevitável marcar gols. Contudo o resultado foi até razoável, o empate sem gols é o melhor empate possível quando se joga em casa, se o Flu marcar um golzinho no Paraguai, ficará muito próximo da vaga na semifinal.

Tardelli desconta e Luan empata.
 (Getty/Tribuna do Cisco)
Tijuana 2 x 2 Atlético Mineiro: Favorito ao título, o galo mineiro entrou em campo com todo seu poderio, o quarteto Bernard, Ronaldinho, Tardelli e Jô estavam em campo, seria um prelúdio para mais um show? A resposta é não, o time de Cuca entrou desinteressado, errando muito e pecava na saída de bola. O time também sentiu muita dificuldade com o gramado sintético, o que no meu ver é um absurdo, liberar um gramado “falso” para um jogo de futebol profissional é como tirar um membro importantíssimo do espetáculo.

O Tijuana ainda não havia tomado nenhum gol em sua casa, era um grande trunfo para os mexicanos, que conseguiram marcar e castigar o Atlético, aos 34 minutos da primeira etapa, Riascos chutou e Victor não teve chances, 1 a 0 e vantagem mexicana. O gol desestabilizou o time mineiro, que foi para o vestiário cabisbaixo, Cuca tentou alertar o grupo, Bernard sentiu a lesão que vem lhe acompanhando por bastante tempo e teve de deixar o campo, Luan entrou em seu lugar.

Assim como fez o Palmeiras, o Atlético ligou o motor e buscava o empate no início da segunda etapa, o resultado foi triste, o Tijuana ampliou a vantagem com Martinez, o cover do Neymar não perdoo e os mexicanos estavam com uma enorme vantagem, 2 a 0. O Atlético não se abateu, pelo contrário, ficou melhor, atacou, atacou e o gol, enfim saiu. Ronaldinho cobrou o escanteio, contou com a ajudinha dos “companheiros” mexicanos e a bola sobrou para Diego Tardelli cabecear, o atacante não desperdiçou a chance e diminuiu para o Atlético.

Quando tudo já estava decidido, no apagar das luzes, Ronaldinho fez mais uma boa jogada e tocou para Luan, o baixinho se enrolou com a bola, contou com a sorte e tocou na saída do goleiro Saucedo, 2 a 2, o galo voltou para o jogo e está muito próximo da fase semifinal. Na próxima quinta-feira, o Atlético recebe o Tijuana e lhes apresentará a força de sua torcida na Arena Independência, coitado dos mexican