terça-feira, 23 de abril de 2013

Alemães 1 x 0 Espanhóis


Por mais que a minha aposta para o jogo de hoje fosse no Bayern, jamais esperava que a vantagem dos Bávaros seria tão grande. Com o massacre alemão, o técnico Jupp Heynckes prova a todos os críticos que não precisa da ajuda de Pep Guardiola para colocar seu time para jogar e também mostra que a fase do campeão alemão é sensacional. Para o Barcelona sobrou o campeonato espanhol, porque reverter essa situação é praticamente impossível.
Jogadores comemoram o gol, o Bayern já está classificado? (Getty Images/Tribuna do Cisco)

A bola rolou e os catalães começaram no seu melhor estilo, dominando a posse de bola, enquanto o Bayern aproveitava melhor as oportunidades e chegava com muito perigo, graças ao excelentíssimo futebol de Javi Martínez (postamos especialmente sobre o volante em http://www.tribunadocisco.blogspot.com.br/2013/04/o-novo-kaiser.html), a velocidade de Robben e Ribéry e as perigosas chegadas do brasileiro Dante, o cenário era muito favorável ao time alemão.

Para provar que estava melhor na partida o Bayern foi a luta e num cruzamento na medida de Robben para Dante, a bola foi escorada e Muller empurrou para as redes, 1 a 0 e festa no Allianz Arena. O Barcelona não apresentou sinais de vida, Messi mal tocou na bola, Sánchez realmente não vive boa fase, Iniesta e Xavi perderam a cabeça e o time sem comando sente muita falta de Pep e o primeiro tempo terminou com a vantagem alemã.

Heynckes não precisou da ajuda de Pep para
massacrar o Barça.  (AP/Tribuna do Cisco)
Na segunda etapa, os times voltaram com as mesmas formações e os alemães, empurrados por sua grande e apaixonada torcida não permitiu que o Barça atacasse, anulando os pontas Pedro e Sánchez. Numa jogada semelhante ao primeiro gol o Bayern conseguiu ampliar, Robben cobrou o escanteio na medida para o sempre decisivo Muller ajeitar na medida para Mario Gómez escorar para o gol, o atacante estava centímetros na frente, porém era um lance muito difícil e o bandeira não merece ser crucificado.

Dando sequencia a grande aula que o Bayern dava ao time culé, o professor Schweinsteiger tocou para Robben que chamou a jogada e pediu a bola, chamou os defensores catalães para o embate e foi em busca do terceiro gol, o holandês fez Jordi Alba de bobo, contou com uma ajudinha de Thomas Muller que aplicou a famosa jogada do basquete chamada corta-luz e viu o lateral do Barça se lançar ao chão de maneira bizarra, concluindo a jogada, Robben se posicionou com muita perfeição e experiência e ampliou para o Bayern de Munique, foi o terceiro gol e os alemães continuaram com o espetáculo.

Quando tudo já parecia definido e o massacre Bávaro concluído, o bom francês Ribéry, que por sinal jogou muito bem, passou para Alaba que arrancou com maestria e cruzou na medida para o cara do jogo, a referência da Baviera Thomas Muller marcar seu segundo gol e dá números finais ao jogo de ida na Allianz Arena, 4 a 0 para o Bayern. Antes do fim da partida o clima esquentou, Robben discutiu com Alba e tomou uma bolada na cara, uma cena hilária, mas que não tomou um rumo tão drástico e o jogo teve seu fim selado.
O cara da partida, Muller comemora o quarto gol do jogo. (EFE/Tribuna do Cisco)

Com a impressionante goleada, o Bayern deu o troco no Barça, porque em 2009 as equipes se enfrentaram e foi o Barcelona que aplicou os 4 a 0, na partida de hoje, o time de Heynckes venceu, convenceu e praticamente sela sua classificação e já temos um finalista, pois o emocional do time de Tito Vilanova está lá embaixo e pelo futebol apresentado, é muito difícil que o Barcelona tenha um dia iluminado como teve quando eliminou o Milan nas oitavas de final, um fim medíocre para a Era Vilanova.