sábado, 16 de março de 2013

UFC 158: A história de mocinho contra a de um vilão.


Hoje teremos mais um evento numerado do UFC, o tão aguardado 158 que está encabeçado com uma das mais aguardadas lutas do esporte, George Saint Pierre contra Nick Diaz. O lugar em que a luta será realizado é o mesmo de sempre quando “Rush” sobe no octógono, o Center Bell, casa dos Montreal Canadiens (GO HABSSS!!!!). Além do título da divisão dos meio-médios, teremos mais duas lutas que serão muito importantes para definições de futuros combates da categoria.






Fazia muito tempo que os chefões do UFC buscavam alguma maneira de poder casar este duelo, tanto que a forma como ele foi oficializado não foi totalmente aceito pelos fãs. Nick Diaz vem de derrota e de suspensão por uso de Maconha.  Não faria sentido este combate ser realizado agora se o UFC fosse uma organização meritocrática, porém, não foi a primeira vez que isto aconteceu e nem será a última. Tem prioridade quem vende mais! GSP é conhecido por ser um Money-maker do UFC e Diaz sabe vender uma luta como poucos.

GSP mostrando que está lutando em casa (Canadiensbrasil)
Vou ser bem sincero com nossos leitores e falar que eu estava com um pouco de dificuldades em escolher um título para esta matéria. Todavia, após assistir a coletiva de imprensa realizada quinta-feira, peguei carona numa deixa que Diaz soltou durante a entrevista, fazendo menção que a mídia está trabalhando este combate como um cenário hollywoodiano, entre o bem e o mal. E realmente isto está acontecendo, não obstante, a interpretação do caso não pode ficar fixa ao que Nick imagina. GSP é campeão de fato e direito, posta-se como um, é muito respeitoso e faz questão de manter os princípios das artes marciais quando está no caminho do octógono, ou seja, um exemplo de postura. Só que Rush está deixando muito a desejar quando a porta do octógono está fechada, pois não consegue terminar suas lutas da forma em que o público quer, com nocautes ou finalizações. Após retomar o cinturão com um vitória espetacular sobre Matt Serra, em abril de 2009, George até a luta de hoje conseguiu apenas uma vitória antes do fim dos 25 minutos, isso é motivo de várias críticas, inclusive minhas.

Diaz mostra que também usa Kimino. (Graciemag)
Diaz é o oposto de GSP, posa de bad-bay e de garoto que cresceu em ruas violentas dos EUA, literalmente lutou para subir na vida mas aparenta não ter aproveitado os muitos ensinamentos sobre comportamento que o Jiu-jitsu proporciona. Entretanto, Diaz sempre dá aos espectadores aquilo que eles querem, muita ação, muita movimentação, muitos nocautes e finalizações. Das suas últimas 11 vitórias, dias faturou na decisão apenas duas vezes. Dono de um boxe de altíssimo nível e um Jiu-Jitsu fenomenal, Diaz dentro do octógono nem parece ser o idiota quando tem um microfone nas mãos.

Além dos duelos do card principal, teremos outras lutas que merecem ser destacadas. A primeira é a tentativa de TJ Dillashaw, que ficou conhecido no TUF Bisping x Miller, apresentar-se bem mais uma vez e galgar espaço entre os grandes do peso galo enfrentando o japonês Issei Tamura. O canadense Antonio Carvalho vai tentar manter sua invencibilidade em lutas realizadas no Canadá contra o amarrão Darren Elkins. Também teremos a estreia de Patrick Coté (que é de Quebec) entre os meio-médios Bobby Voelker que fará sua primeira luta no ultimate, além de Dan Miller que colocará seu Jiu-Jitsu a prova nos meio-médios pela segunda vez contra o duríssimo Jordan Mein. Destacamos também que não haverá a participação de nenhum brasileiro na noite.

Chegou a hora dos palpites. No evento passado acertei 4 das 5 possibilidades, acumulando um total de 7 acertos em 10 lutadas palpitadas.

Baraka deixa o MK e agora é funcionário do UFC (mmajunkie)
MIKE RICCI VS COLIN FLETCHER
O canadense também de Montreal terá a oportunidade de lutar em casa pela primeira vez. Vindo de derrota na final da temporada do TUF Nelson VS Carwin, Ricci vai começar sua carreira de fato no UFC contra um lutador muito folclórico. O inglês Colin Fletcher, que é irmão mais novo do personagem Baraka de Mortal Kombat, vai tentar surpreender a todos na grade a mesma forma que faz com seus atos de marketing controversos. Tratando da luta, acredito que Fletcher é bem limitado comparado ao  seu oponente, e se não conseguir encontrar algum meio de levar a luta para o chão, não vai ter possibilidade nenhuma de vitória. 

Palpite: Ricci por nocaute no terceiro round.

NICK RING VS CHRIS CAMOZZI
Aqui teremos uma luta de adversários com habilidades desenvolvidas em pé, quedas e luta no solo. Ring possui um cartel até um pouco controverso para seu background, pois é um especialista em striking, mas que não demonstra nenhuma dificuldade finalizar seus combates, porém, é válido ressaltar que muitas de suas vitórias por submissão surgiram graças aos seus golpes em pé. Camozzi parece muito neste sentido com Ring, mas não tem conseguido terminar tanto suas lutas, porém, é muito duro de ser batido. Eu acredito que esta luta vá para o chão, trazendo vantagem para Camozzi. Se a peleja for mantida em pé, Ring terá vantagem.

Palpite: Camozzi por finalização no segundo round.

Ellenberger foi um dos que fez média com a torcida da casa (examiner)
JAKE ELLENBERGER VS NATE MARQUARDT
 Antes de fazer qualquer menção sobre como eu imagino que a luta ocorrerá, afirmo que Nate será mais um daqueles lutadores operários, que nunca conseguem superar o desafio que será o cartão de apresentação para lutas pelo título. Já sobre a luta, Ellenberger é um nocauteador nato e deve procurar encontrar a distância desde o início da luta. Creio também que Nate vai buscar levar a luta ao solo, onde ele se sente mais confortável. A luta vai ser boa, bem movimentada e apesar de The Great ser um cara muito duro, aposto no nocaute de Juggernaut!

Palpite: Ellenberger por nocaute no primeiro round.

 CARLOS CONDIT VS JOHNY HENDRICKS
Condit teve sua change, enfrentaria o gigante da categoria Rory Macdonald, mas o segundo se machucou e Hendricks pediu o duelo. Hendricks é dono de três premiações de nocaute da noite nas suas últimas cinco aparições e deveria ser o desafiante ao título pela sua sequencia de vitórias. Porém, o UFC não grato com ele e agora vai enfrentar uma pedreira. Condit pra mim ainda é o segundo melhor lutador da categoria e o único que pode proporcionar algum tipo de dificuldade ao atual campeão, mas não pode subestimar o poder de nocaute do Bigg Rigg. Vamos ver como ambos se comportarão e se Hendricks terá gás para aguentar caso a luta vá se prolongando.

Palpite: Condit por decisão unânime.

GEORGE SAINT PIERRE VS NICK DIAZ
Eu não hesito em afirmar que GSP é o lutador mais equilibrado entre todos no UFC. Ele pode não ser tão bom no striking como Anderson Silva e nem tão letal em quedas e ground and Pound como Jon Jones, mas Rush é muito melhor em derrubar seus adversários que Spider e é muito mais perigoso em pé que Bones. Então, o que tende-se a acontecer é que GSP leve a luta para o chão contra Nick Diaz, mesmo o bad-boy sendo faixa preta em BJJ. É válido ressaltar que GSP já enfrentou grandes jiu-jiteiros como Matt Serra e BJ Penn, vencendo ambos. Se Diaz realmente quiser ter alguma chance de vitória, terá de conseguir danos com seu boxe e evitar ao máximo as quedas do canadense, algo que ninguém tem conseguido fazer em toda categoria.

Palpite: GSP por decisão unânime.