sábado, 23 de fevereiro de 2013

UFC 157: Agora é que são elas!


O dia em que as mulheres roubaram a cena e entraram de vez no UFC.

Poster Oficial (UFC.com)

Hoje é de fato uma grande data para UFC, sinceramente, uma noite histórica! Pela primeira vez a franquia americana terá uma luta de mulheres no Octógono, algo que nunca foi visto e que Dana White cansou de afirmar milhares de vezes que jamais aconteceria. Pois bem, o careca viu uma chance de negócios e fingiu que não tinha dito nada e trouxe a categoria do extinto Strikeforce para o UFC, muito ainda vai ser falado sobre esta manobra. Além disso, outras grandes lutas farão parte do card em geral. O evento de hoje está muito interessante.


Ela não é só um rostinho bonito! (google.com)
Dana White não pode ver um microfone em sua frente, pois ele sempre expressará aquilo que for mais polêmico para ganhar espaço na mídia. Quando o Strikeforce, que era até então o principal concorrente do UFC e com manobras muito interessantes para ganhar público, divulgou uma luta entre mulheres como disputa de cinturão nos EUA, parecia que ninguém abraçaria a causa. Isso foi o que Dana White tentou passar para todos, porque a menina dos olhos do Strikeforce, Gina Carano, levou uma surra lendária da brasileira Cris Cyborg. Cara, Gina Carano é linda, muito linda, dava pena cada vez que Cyborg conectava um golpe nela. Gina perdeu, Cyborg se tornou campeã, a possibilidade de usar Carano como objeto de marketing foi pro limbo, não daria pra se fazer o mesmo com Cris Cyborg e Dana Branco começou a alfinetar a categoria das mulheres.

Entretanto, os eventos de menor porte gostaram da iniciativa do Strikeforce (Muitos outros eventos já haviam lançado combates entre mulheres como Cage Rage, EliteXC e o Invicta FC abraçou a causa muito antes que o UFC) e começaram a trabalhar com lutas entre mulheres também. Cris Cyborg virou estrela no MMA, mas pelo o que ela fazia em suas lutas, não tomando conhecimento de nenhuma de suas adversárias e ganhando prêmios e mais prêmios. O problema, é que nem de longe Cyborg conseguia atrair os holofotes fora do octógono, dificultando o uso de sua imagem pela sua falta de carisma. Mas, como o UFC é um negócio, enquanto não surgisse aquele boom para alavancar as vendas de Pay-per-view, as mulheres não teriam vez com Dana White.

Ela apareceu e responde pelo nome de Ronda Rousey, judoca, medalhista olímpica e linda de matar qualquer um do coração. Isso significa que ser bonita é tudo? Não! Ronda varreu a categoria dela no Strikeforce (uma abaixo da de Cris Cyborg) e se tornou aquela menina dos olhos que faltava para que Dana White mudasse de opinião sobre a criação de uma categoria feminina no UFC. Igualmente a Carano, Rousey tem uma penetração muito fácil na mídia e suas palavras viram manchetes em questão de segundos, tudo o que faltava para que o UFC a contratasse. Porém, ainda não sabemos como será a vendas de PPV para essa luta.

Então o mundo todo pensou, “Show! Vamos ter o maior duelo entre mulheres de todos os tempos com Cyborg e Rousey”. Não, isso não vai acontecer AGORA, mas acredito que no futuro isso vai ser trabalhado. Minha visão sobre tudo o que aconteceu é que após Cris ter sido pega no dopping e ser tratada como um vira-lata, é um pouco teoria da conspiração, mas é como se tudo tivesse sido premeditado (não quero afirmar que foi, mas que pode ter sido desenvolvido com o tempo) para diminuir a imagem da Brasileira feia e sem carisma, e crescer a imagem da americana que parece uma Barbie e que costuma arrancar o braço das adversárias.

Mas depois de toda essa explicação, eu acredito que em algum momento do negócio o encontro em Rousey e Cyborg acontecerá. O UFC admite que tentou manter Cyborg no seu elenco de lutadoras, porém ela seria a única da categoria por enquanto. Disse que a brasileira que não estava disposta a esperar mais e blá-blá-blá. O que eu vejo nisso tudo é uma grande jogada de marketing futuro. Cyborg não tem adversária no mundo todo, ela foi contratada pelo Invicta FC, fará algumas lutas, ganhará passando o carro em todas elas e as campanhas para que hajam o duelo entre as duas vão tomar proporções gigantescas! Se Cyborg for esperta e bem assessorada, fará uma dieta ao longo desse tempo estudando a possibilidade de descer de categoria para que não haja dificuldade na realização do combate. Pode acontecer que isso não ocorra? Sim, caso Rousey ou, principalmente, a brasileira perca, pois ela vai escutar muita bobagem dita por todos. Mas caso o duelo aconteça em algum momento, meu registro já vai ficar aqui na Tribuna, Cyborg vence por esquartejamento!

Depois de todas essa explicação, vamos aos outros destaques deste evento que está muito bacana. No card principal mesmo temos lutas que serão interessantes para suas divisões, como o retorno de Josh Koscheck (que talvez não esteja mais com seu lugar garantido depois de ver o principal amarrão do UFC, Jon Fitch, ser demitido) e a estreia de Robbie Lawler na categoria dos meio-médios. Urijah Faber vai tentar traçar mais uma vez seu caminho rumo ao cinturão contra o também especulado Iván Menjivar, duelo que também será preponderante para o futuro da categoria. E por fim, a mais aguardada de todas, valendo o posto de futuro desafiante ao cinturão (Dana White já falou isso inúmeras vezes), o dragão brasileiro Lyoto Machida vai enfrentar a lenda americana Dan Henderson.
Daqui sairá o próximo desafiante ao cinturão (portalmma.com)

No card preliminar também teremos confrontos que valem a atenção dos fãs do MMA. Brendan Schaub luta pela sobrevivência contra Lavar Johnson, que não está numa situação muito mais confortável que seu oponente. O prodígio Dennis Bermudez fará mais uma apresentação visando figurar entre os principais nomes dos penas contra o inexpressivo Matt Grice. Concluindo, o brasileiro Yuri Villefort fará sua estreia no UFC contra o americano Nah-Shon Burrell.

No último evento acertei 3 de 5 palpites.

JOSH KOSCHECK VS ROBBIE LAWLER 
    
Josh Koscheck está na minha lista de lutadores que eu nunca quero ver em ação. É um amarrão de primeira e gosta muito de uma catimba. Mas, não está no UFC por acaso, possui bom wrestling e consegue finalizar suas lutas de vez em quando. Também é um lutador duro, tendo sofrido apenas um nocaute e uma finalização em toda sua carreira. Vai enfrentar o striker Robbie Lawler, que lutava entre os pesos médios e resolveu descer de categoria. Esse tipo de manobra cria muita expectativa em cima da performance do lutador, principalmente se tratando de um nocauteador. Acho que teremos um duelo interessante até o momento em  que Koscheck conseguir derrubar seu adversário... e ele vai conseguir!.

PALPITE: KOSCHECK POR DECISÃO UNÂNIME. 

 COURT MCGEE VS JOSH NEER

Este é mais um duelo da série “O que estou fazendo no card principal?”. Bem, Court McGee fará sua estreia na categoria dos meio-médios depois de dois reveses seguidos na categoria dos médios. É um lutador que tem um background todo voltado para luta em pé mas que está conseguindo suas vitórias mais na luta de solo. Já Josh Neer é um lutador veterano que dificilmente vence por decisão, mas perde muito desta forma. Possui um bom poder de nocaute e consegue boas finalizações, mas também vem de duas derrotas. Como o facão do UFC anda impiedoso, acredito que teremos mais uma vítima após essa luta.

PALPITE: MCGEE POR NOCAUTE NO SEGUNDO ROUND.

URIJAH FABER VS IVAN MENJIVAR

Pasmem, ele não tem 18 anos. (Sherdog.com)
Faber é muito querido nos EUA, seu apelido “The California Kid” não poderia ser mais conveniente! Porém, Urijah também é um grande lutador, um daqueles que sempre proporciona bons duelos, sendo um bom boxer, um grande wrestler e freguês da Nova União. Começará mais uma batalha rumo ao cinturão, o que não é muito difícil com ele devido a grande aceitação do público ao lutador. Vai enfrentar o não menos duro, mas muito mais inconstante Iván Menjivar, que começou sua carreira lutando nos pesos meio-médios. Menjivar teve sua chance de figurar entre os concorrentes quando lutaria contra Renan Barão, mas acabou tendo de enfrentar Mike Easton e perdeu. Isso é um bom resumo de como “O Orgulho de El Salvador” é imprevisível. Entretando, tenho certeza que a luta será muito boa.

PALPITE: FABER POR FINALIZAÇÃO NO PRIMEIRO ROUND.

LYOTO MACHIDA VS DAN HENDERSON

Pessoalmente eu não queria que esta luta tivesse perdedor, mas como o empate também não é interessante para nenhum desses atletas, eu vou torcer pelo Dragão. Machida é um exemplo de atleta, mudou-se para os EUA para dispor de uma estrutura ainda melhor, teve um camping com participações de Glover Teixeira e Chuck Liddell! Para mim, Machida é o melhor exemplo de cara que se prepara para uma luta entre os brasileiros. Já o outro é uma lenda viva! Se fosse pra classificar a arte marcial em que Hendo é especialista, eu diria “Apagar seres humanos”. Dan sempre enfrentou grandes adversários e está até hoje, com quase 43 anos, e nunca fui nocauteado. Agora, saindo um pouco da minha admiração pelos dois atletas, vamos à luta. Acredito muito mais no preparo físico de Machida contra Hendo e não sabemos como será que o Banguela vai se comportar com os movimentos constantes e contra golpes brasileiros. A chave da batalha pra mim estará no fator queda. Se Hendo conseguir derrubar Machida (o que é muito difícil), suas chances de vitória aumentam consideravelmente. Porém, aposto que o Karate do brasileiro trará mais um triunfo a ele.

PALPITE: MACHIDA POR DECISÃO UNÂNIME.

RONDA ROUSEY VS LIZ CARMOUCHE

Rousey é muito linda, impressionante, mas isso não é concurso de beleza (Carmouche agradece). Porém, não acredito que o rumo desta luta fugirá dos roteiros elaborados pela judoca. Apesar de Carmouche ser dura, trabalhar bem em pé e ter algumas finalizações, as habilidades de Rousey na luta de solo são incontestáveis. Para a alegria de Dana White, não acredito que Ronda vá ter muitas dificuldade para quedar sua adversária e coseguir levar mais um braço para casa.

PALPITE: ROUSEY POR FINALIZAÇÃO NO PRIMEIRO ROUND (Ainda chuto que será uma chave de braço.)