sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

A Blitzkrieg do Bayern.



Janeiro é uma das duas janelas de transferências, normalmente, são times que estão com elencos reduzidos, fazendo más campanhas e buscando soluções paliativas que agitam mais esse período do futebol internacional. É claro que Chelsea, Manchester City e qualquer time que tenha mais dinheiro que o Tio Patinhas não se enquadra nesse grupo, pois, eles sempre estão prontos para supervalorizarem as peças que querem possuir no elenco.

Foi assim que os diários esportivos amanheceram na Alemanha (telegraph.uk)

Passamos da metade do mês, entretanto, já tivemos a grande contratação da janela. Acho que é a primeira vez que a contratação de um treinador acaba se tornando mais badalada do que de qualquer jogador. Foi uma mistura de fatores que engrandeceu ainda mais a contratação, como foi feita, o sigilo, o anúncio e o clube. O Bayern de Munique não foi só astuto e discreto, foi muito profissional! Não só por contratar o grandioso Pep Guardiola, mas por respeitar o trabalho de Jupp Heynckes até o último dia. Heynckes poderia até querer continuar no futebol, mas, além de uma grande contribuição ao futebol em geral, está passando o bastão para o profissional mais desejado para ocupar o banco de algum time de futebol.

Então, não tem como não se perguntar, por que Pep escolheu o Bayern quando ele poderia pegar times muito mais competitivos e dispostos a gastar muito mais do que o clube bávaro? Chelsea, Manchester City, Inter de Milão foram alguns dos clubes que sempre estavam nos boatos publicados sobre o futuro do treinador catalão. Eu posso afirmar que nunca imaginei que ele iria para um desses times, porém, afirmo também que errei minha previsão pois imaginava que ele queria apenas um tempo de descanso para voltar ao Barça. Só que tenho muita convicção em dizer que o grande motivo pelo qual Pep não entrou em nenhum desses times foi o vestiário. Poucas pessoas lembram-se da primeira atitude de Pep quando foi anunciado como treinador dos Culés, “Quero Ronaldinho, Deco e Eto’o fora.”. E não foi diferente, Deco foi para a Inglaterra e Ronaldinho para Itália. Eto’o ficou mais uma temporada, fez parte de um dos ataques mais imperdoáveis da história do futebol junto com Henry e Messi, mas logo foi transferido para chegada de Ibra, que no ano seguinte também deixou o time azul-grená.

A Allianz Arena será a casa do elegante Pep (Mirror)
Dá pra perceber que Pep gosta de ter total domínio sobre o vestiário da equipe. E qualquer espectador assíduo de futebol sabe que esses três times mencionados anteriormente tenham os vestiários mais indisciplinados entre os grandes clubes da Europa. Na Inter, parece que o time só sabia jogar com Mourinho no comando, depois que o português saiu, os Nero-azuis só acumulam vexames. Os Citizens são um time sem comando, isso é muito claro, por sinal, sou ousado a afirmar isto, mas eu considero Roberto Mancici um dos treinadores menos treinador de todos os que figuram entre os grandes clubes. Já o Chelsea, esse dispensa comentários. Já tratamos sobre isso aqui mesmo no blog e a cada temporada que se passa, mais os jogadores mandam no time. Definitivamente, treinar os Blues é o menos indicado para um treinador disciplinador como Guardiola. Também tem o nosso querido Real Madrid, que não sondou Pep, mas que é um exemplo antigo de vestiário sem jeito. Diferentemente de Pep, Mourinho consegue ser mais arrogante que todos os seus atletas juntos.

Vamos ver se Pep conseguirá manter 
o status na Alemana (Guardian)
Após tentar responder a primeira indagação, outra pergunta vem automaticamente, por que Guardiola escolheu o Bayern? Procurei encontrar semelhanças entre o atual Bayern e o Barça das últimas quatro temporadas. Primeiro, um bom número de jogadores formados nas categorias de base, praticamente em todas as posições temos uma prata da casa, ou um jogador que está no Bayern há mais de cinco temporadas. Segundo, jogadores jovens e com funções claras, com uma aplicação tática muito bem definida, no mesmo estilo daquele Barcelona. Terceiro, jogadores coringas que podem ocupar várias posições, fazendo com que haja um bom revezamento durante toda temporada, importante para o sucesso de um time. Quarto, bons jogadores e pouco estrelismo, os jogadores do Bayern se aproximam bastante do Barcelona no que quis respeito à badalação.  

Entretanto, os desafios também farão parte do novo emprego de Pep. Estamos falando de um time que chegou à final da Liga dos Campeões duas vezes nas últimas três temporadas, perdendo as duas, inclusive uma no seu próprio estádio. O Bayern é um time caro, muito caro. De muita tradição e que vai ganhar, provavelmente, a bundesliga desta temporada. Também entre as tarefas principais de Guardiola está controlar o ego de Frank Ribery e Arjen Robben. Não ficaria surpreso caso ambos deixassem o time da Bavária. Outro detalhe importante é que o Bayern joga uma liga nacional muito mais competitiva, o que será um teste mais difícil para Pep.



Essa é a imagem que os torcedores do Bayern tanto querem ver. (The Sun)
 De uma coisa podemos ter certeza, muita preparação, muita expectativa e muita movimentação vai rolar em Munique na próxima janela de transferência. Mas, acima de tudo, vamos ver se Pep Guardiola é tudo aquilo que ele mostrou ser durante o período de Barcelona. Porém, sejamos honestos, independente dos resultados, o Bayern surpreendeu a todos de uma forma semelhante à estratégia de guerra alemã que ficou conhecida por todos.