sábado, 13 de outubro de 2012

UFC 153: O homem-aranha enfrenta mais um psicopata para salvar o dia...


Salve, Salve fãs do MMA! Hoje teremos mais um evento do UFC, desta vez, no Brasil. É a terceira e, segundo o planejamento do UFC, a última vez que isto acontece este ano. O UFC Rio III, segundo os produtores do UFC, marca a comprovação que o Brasil definitivamente entrou no calendário da franquia para não sair mais. Vários lutadores já fizeram história, representaram e honraram o Brasil em terras estrangeiras, entretanto, após o evento ter pousado pela segunda vez no nosso território em agosto do ano passado (A primeira foi um evento pequeno, em São Paulo, no ginásio da Portuguesa), a recepção foi tão calorosa que os executivos do UFC só pensavam em realizar um mega evento ainda em 2012. Bem, este ano não foi possível, mas eles prometem que ano que vem teremos um show em um estádio de futebol, simbolizando a grandiosidade do apoio do público brasileiro para o esporte.
Poster Oficial (UFC.com)

Não é surpresa para ninguém que em um evento realizado no Brasil, o card esteja recheado de brasileiros, contudo, os imprevistos marcaram presença no planejamento do evento. As duas últimas lutas tiveram baixas e foram alteradas. O Co-main event seria entre Vitor Belfort e Alan Belcher, porém, o segundo se machucou e fez com que o primeiro fosse remanejado para enfrentar Jon Jones, o que já fora comentado aqui na tribuna. Já o evento principal foi alterado devido uma extravagância que o atual campeão dos pesos penas, José Aldo, que se machucou pilotando uma moto. O adversário dele foi mudado, de Erik Koch para Frankie Edgar, ou seja, ficou muito mais difícil. Mas, o destino foi cruel para o público brasileiro.

HSBC Arena sedia o evento mais uma vez (google.com)
Mas Dana White não mediu esforços para não decepcionar nem diminuir a importância do evento. Como ele fez isso? Chamou dois dos mais importantes lutadores tupiniquins em toda história: Rodrigo Minotauro e Anderson Silva. O card está muito bom, como em todos os outros eventos que foram sediados no Rio de Janeiro, mas, pela primeira vez, não envolverá um cinturão entre as lutas. A resposta só não foi completa porque muitos fãs estão criticando a significância dos seus adversários, Dave Herman e Stephan Bonnar. Herman ainda precisa de uma aparição convincente no UFC, pois mesmo sua única vitória, foi após tomar um sufoco no primeiro round de Einemo. Além disso, no seu cartel constam derrotas contra Stefan Struve e Roy Nelson (esta segunda foi apenas um soco e a luta terminou!). Ou seja, se Minota perder esta luta, será uma decepção. Aliás, Minotauro terá a chance de provar que ainda quer alguma coisa em sua carreira, pois está aparentando que ele perdeu o foco e virou um cara mais midiático, principalmente porque a aposentadoria já está batendo em sua porta. Já sobre o adversário de Spilder, eu considero Bonnar um cara duro, muito duro, a prova disso é que ele nunca foi nocauteado em toda sua carreira. Mas, se eu admitir que o considere um lutador para um evento principal, eu estarei mentido descaradamente. A verdade é que ela luta não é um desafio para o campeão dos pesos médios, entretanto, uma derrota repercutiria muito mal para o ex-chute boxe.

A encara mais divertida de todas (globo.com)
Como eu já falei anteriormente, o card está muito bom, desde o preliminar até o principal. Mas, como vocês já sabem, o card principal tem espaço especial nas postagens e procuro falar um pouco mais das lutas anteriores. Como a de Luis Cané, que no UFC Rio I foi o responsável pela única derrota de brasileiro entre as cinco lutas principais. Cané fará sua estreia entre os pesos médios contra Chris Comozzi. O vencedor do TUF 14 Diego Brandão vai tentar conseguir um resultado melhor que na sua última luta. Seu adversário será Joey Gambino, que busca seu primeiro triunfo no UFC. Além deles, teremos a presença de quatro lutadores do TUF Brasil compondo os combates. Reneé Forte e Serginho Moraes fazem um dos duelo entre brasileiros da noite. Rony Jason, um dos campeões da edição brasileira, fará um embate com Sam Sicilia. E a outra luta que merece ser citada é entre Gleison Tibau, para muitos o melhor brasileiro dentro da categoria dos leves, contra o folclórico e adorado Francisco Massaranduba, que após sua passagem pelo reality show brasileiro, conquistou uma legião de fãs no país.

Agora teremos os palpites, que estão muito ruins! No último evento, tive o péssimo rendimento de 2-3.

DEMIAN MAIA VS RICK STORY
O brasileiro fará sua segunda luta entre os meio-médios depois de uma vitória fulminante contra o coreano Dong Hyun Kim. Maia é reconhecido internacionalmente pela sua habilidade no solo, porém, desde a vitória por triângulo contra Chael Sonnen em fevereiro de 2009 quando ainda lutava entre os pesos médios, esse fato não se repetiu. O adversário do brasileiro é Rick Story, veterano no UFC, mas que nunca teve um momento de destaque ao ponto de ser posto a disputar o título. Story é um amarrão! A maioria de suas vitórias foram por decisão e todas suas derrotas também, deixando o brasileiro numa situação complicada. A luta não será fácil para nenhum dos dois, mas a torcida é para que não seja chata.

PALPITE: MAIA POR DECISÃO UNÂNIME.

PHIL DAVIS VS WAGNER CALDEIRÃO
Phil Davis é um cara duro, aquele típico lutador de wrestling que os brasileiros têm muitas dificuldades em enfrentar. Davis esteve a beira de disputar o cinturão da categoria, mas após o revés para Rashad Evans, voltou ao final da fila. Sua primeira luta para tentar recuperar o seu prestígio foi contra Wagner Caldeirão, todavia, devido a um dedo no olho acidental, o resultado de No-Contest foi decretado. Caldeirão é um lutador que apresentou ter um bom jogo em pé e estava dando um bom trabalho ao adversário americano, não obstante, acredita-se que Davis não vai entrar com uma estratégia semelhante e buscará manter o lutador no chão, onde ele se sente muito mais comentário. Já para o brasileiro, o seu Muay-Thai é a chave para a vitória.

PALPITE: DAVIS POR DECISÃO UNÂNIME.

JON FITCH VS ERICK SILVA
O Índio terá o maior desafio da carreira hoje (sportv.com)
Jon Fitch é figurinha certa no meu ranking de lutadores mais chato de se assistir. Fitch é um mestre no Wrestling, e se tratando de brasileiros, possui o invejável cartel de quatro vitórias em cinco pelejas. Dessa vez, ele enfrenta o tupiniquim mais badalado na categoria dos meio-médios, Erick Silva, lutador com muitas habilidades e bastante explosivo. Silva não passou do primeiro round no UFC, tendo duas vitórias e uma derrota devido a uma palhaçada assinada pelo árbitro Mário Yamasaki. O difícil para Silva é que ele não aparenta ter enfrentado um lutador com o mesmo background de Wrestling do atual adversário, porém, Fitch foi nocauteado com doze segundos do primeiro round na sua última luta, o que faz acreditar que o queixo do americano não é mais o mesmo.

PALPITE: SILVA POR NOCAUTE NO PRIMEIRO ROUND.

GLOVER TEIXEIRA VS FÁBIO MALDONADO
Glover Teixeira surgiu como grande revelação brasileira este ano no UFC, não decepcionando os organizadores com um desempenho dominante contra Kyle Kingsbury em maio deste ano. Glover é um lutador muito duro, treinado por duas das maiores lendas do MMA, Pedro Rizzo e Marco Ruas. Mas Glover ainda precisará provar se ele pode ser relacionado entre os tops da categoria e o seu adversário seria Rampage Jackson, porém o americano teve de se retirar devido uma contusão. Em seu lugar, está um dos melhores pugilistas do MMA, o brasileiro Fábio Maldonado. Maldonado vem de duas derrotas, a primeira foi bem contestada, contra o mesmo adversário que Teixeira venceu em sua estreia. Essa peleja é meu palpite para luta da noite, porque não faltará emoção durante todo o tempo.

PALPITE: TEIXEIRA POR NOCAUTE NO SEGUNDO ROUND.

RODRIGO MINOTAURO VS DAVE HERMAN
Minotauro foi um dos reis do PRIDE, conquistando uma admiração sublime pelas suas lutas emocionantes, sendo castigado em muitas, porém, nunca nocauteado e nos presenteou com viradas sensacionais. Porém, assim como outros lutadores do PRIDE que estão no UFC, Minotauro já passou pelo auge da carreira e hoje figura entre as lendas do esporte no evento americano. Aparentemente, Minoto já perdeu o foco na carreira, para mim, a prova foi ter pedido para se retirar da luta contra Cheick Kongo alegando uma lesão no braço que foi triturado por Frank Mir, mas ele não apresentou nenhum problema ao participar da Dança dos Famosos. Seu adversário é um lutador que prefere o jogo em pé, entretanto não conseguiu se mostrar um lutador perigoso no UFC. Mas, ele é um cara bem explosivo, lembrando um pouco o estilo de Brendan Schaub, que na luta que fez contra Minota, deu um trabalho devido sua movimentação e explosão.

PALPITE: MINOTAURO POR FINALIZAÇÃO NO PRIMEIRO ROUND.

ANDERSON SILVA VS STEPHAN BONNAR
Spider vai tentar ser o primeiro a nocautera Bonnar (faixapreta.com)
Anderson Silva foi o responsável por salvar o evento no Rio de Janeiro. Boatos circulam que seu empresário, Jorge Guimarães, negou alguns adversários considerados mais difíceis, como o ex-campeão Rashad Evans. Esta deve ser a última luta de Anderson Silva no ano, algo que já fugiu do seu planejamento porque ele não planejava fazer mais uma luta entre os meio-pesados. Essa foi uma grande oportunidade para os jornalistas martelarem o campeão perguntando a possibilidade de subir de categoria e desafiar Jon Jones, mas parece que a “amizade” entre os campeões estão bem ensaiadas, pois ambos sempre negam. Contudo, por incrível que pareça, Silva terá a oportunidade de realizar um feito inédito no MMA, ganhar de Stephan Bonnar sem ser por decisão, pois o americano nunca foi nocauteado nem finalizado. Bonnar é um bom grappler e tem feito boas lutas em pé em suas últimas aparições, mas não acredito que ele seja páreo a trazer problemas para Spider.

PALPITE: SILVA POR NOCAUTE NO SEGUNDO ROUND.