sábado, 7 de julho de 2012

Depois de lesões e Doping, A HORA DA VERDADE!

Dia 7 de julho de 2012, O mundo do MMA estava esperando ansiosamente esta data. Finalmente, saberemos quem estava mentindo em 2010! Não falo do que foi a luta, que está na memória de todos os fãs do esporte. Mas, as palavras que fizeram com que o embate de agosto desse ano se tornasse inesquecível. Por um lado, vimos um Chael Sonnen massacrando Anderson Silva, destruindo o atleta brasileiro, derrubando o status de mito invencível. Bem, o problema é que Sonnen não pode ver um triângulo, pois ele quer logo entrar dentro dele. No fim da luta, Spider se queixou de uma suposta lesão no tórax, limitando seus movimentos e tendo aquela apresentação atípica. Após o combate, a mídia não parou de procurar Sonnen, primeiro para perguntar sobre a quase vitória, depois para ele dar explicações sobre a quantidade de 29 vezes mais testosterona que o permitido.

Poster Oficial. (Sherdog)
A punição acabou! Enquanto isso, Silva lutou duas vezes. Contra Vitor Belfort em fevereiro de 2011 e Yushin Okami em agosto do mesmo ano. Duas vitórias incontestáveis que fizeram o status de imbatível ressurgir e a hipótese de super lutas contra GSP ou Jon Jones ser aclamadas pela mídia. Chael voltou ao octógono seis semanas após a última luta de Anderson no Brasil contra Okami, finalizou Brian Stann e já começou a atacar o algoz brasileiro. Dana White decidiu fazer com que houvesse uma luta eliminatória entre Mark Muñoz e Chael Sonnen, mas, para a alegria do falastrão, Muñoz se machucou e foi substituído por Michael Bisping. Sonnen venceu de forma chata, amarrada, foi uma luta péssima. Mas, para se classificar era necessário vencer, não dar show. A revanche iria acontecer.

O palco que "roubou" o evento do Engenhão. (mmaextreme.com)
E vai! Para a alegria dos brasileiros, o Brasil seria o país que receberia este evento e o Engenhão o estádio selecionado para ser o palco do espetáculo. A mídia nacional se programou, fez propaganda, realizou reality show e tudo foi em vão! O dinheiro falou mais alto e o UFC mudar de lugar por conta das casas de apostas que faturariam bastante com a luta principal do “UFC 147”. Quer lugar melhor para apostas que Las Vegas? Impossível. O UFC 147 “virou” UFC 148 (na verdade, a luta principal) e o histórico MGM Garden, palco de grandes lutas de boxe e MMA, inclusive a última disputa de cinturão do UFC entre Cigano e Mir, ganhou o presente de hospedar a “Luta do século” (Aliás, eu acho esta expressão muito batida!). Junto com toda essa atenção trazida pelo evento, a primeira “Semana internacional de lutas” foi criada para movimentar ainda mais a cidade com fãs do esporte.

Calma pessoal, o evento não só tem uma luta. Pelo contrário, um super card foi montado para o UFC 148. Mas, como uma nuvem negra ronda o escritório de Dana White e Joe Silva, tivemos uma baixa importantíssima para o acontecimento. O duelo entre Dominick Cruz e Urijah Faber, valendo o cinturão dos pesos galos, foi cancelado devido à lesão do campeão. Renan Barão, que também lutaria no evento contra o salvadorenho Ivan Menjivar, foi selecionado para lutar contra Faber em outro evento.

Alguns outros combates muito esperados vão dar o ar da graça na jaula mais conhecida do planeta. Os veteranos Forrest Griffin, um dos lutadores mais carismáticos da história do MMA, e Tito Ortiz, que subirá no octógono pela última vez, se enfrentarão pela terceira vez. Até o momento, cada um possui uma vitória. Cung Le, depois de ter seu nariz devidamente consertado após as joelhadas de Wand, enfrentará o canadense Patrick Coté, que volta ao UFC após quase dois anos da sua demissão. O brasileiro Demian Maia vai estrear na categoria dos meios-médios contra o casca-grossa Dong Huyn Kim. No card preliminar, três brasileiros lutarão. O potiguar Gleison Tibau provará sua contínua evolução contra o russo Khabib Nurmagomedov. Já Rafaello “Trator” Oliveira tenta se recuperar da última derrota contra o cubano Yoislandy Izquierdo. Por fim, Fabrício Camões enfrentará o veterano Melvin Guillard.


O card principal será composto por seis lutas e eu palpitarei em todas elas. No último evento, acertei 3 em 5 (Porque o maldito juiz não quis parar a luta de Wand :P)

Ivan Menjivar vs Mike Easton

Essa primeira luta já vai ser muito movimentada. Ivan Menjivar é um dos candidatos a uma possível disputa de cinturão com mais uma vitória. Menjivar ainda não perdeu no UFC e todas suas vitórias foram de formas diferentes (um nocaute, uma finalização e uma decisão unânime.). É um lutador muito completo, que possui nove vitórias por nocaute e nove vitórias por submissão. Mike Easton é tão duro e completo quanto seu adversário. Passou dois anos sem lutar e voltou por convite do UFC, vencendo suas duas apresentações. Difícil prever qual será a estratégia dos lutadores devido às múltiplas qualidades dos lutadores. Mas, pelas recentes apresentações, acredito que Menjivar leva pequena vantagem:
PALPITE: Menjivar por decisão unânime.

Chad Mendes vs Cody McKenzie

Se na primeira luta eu espero que tenha muita emoção, esta segunda não me agrada tanto. Chad Mendes voltará ao octógono após o revés contra José Aldo. Mendez é um lutador muito forte para a categoria, que tem um wrestling muito afiado e um bom punch, mas não consegue fazer com que suas habilidades se transformem em espetáculo. Já o seu adversário, é um mestre na luta de solo, das suas 13 vitórias, 12 foram por submissão. McKenzie vai lutar pela primeira vez na categoria dos penas, e, por ser mais pesado que Mendes, leva vantagem no grappling. Mendes vai ter que soltar seu jogo em pé para incomodar mais o adversário.

PALPITE: McKenzie por submissão no segundo round.

Dong Hyun Kim vs Demian Maia

Hoje teremos a estreia de Demian Maia na categoria dos meio-médios. O Brasileiro é conhecido por ter um ótimo jiu-jitsu, o que já o caracterizava como um bom lutador. Porém, seu jogo em pé era muito criticado, porém, Luiz Dórea conseguiu fazer com que o paulista desenvolvesse um boxe mais efetivo. Porém, Maia esqueceu sua melhor habilidade e fez lutas péssimas desde a derrota para Nate Marquardt. E seu adversário é um excelente lutador! Dong Hyun Kim pode até ter muitas decisões no seu cartel, mas todas foram de performances dominantes sobre seus adversários. Talvez, o que mais falta para o coreano é poder de nocaute.

PALPITE: Hyun Kim por decisão unânime.

Cung Le vs Patrick Côté

Esta luta não faz sentido estar no card principal. Nenhum dos dois lutadores está entre os principais da categoria ou são bons em dar espetáculo. Côté volta ao UFC após quatro triunfos seguidos, com mais experiência e mais evoluído. Sua característica principal continua sendo seu duríssimo queixo. Já Cung Le é um striker, sua luta é em pé. Ele dispõe de um vasto leque de chutes oriundos do Taekwondo e Sanshou. Le já foi um trocador de altíssimo nível, mas está velho. Na sua última luta, ele até conseguiu deixar Wanderlei Silva um pouco atordoado no começo, mas terminou sendo nocauteado pelo machado assassino. Acredito que a luta será desenvolvida em pé.

PALPITE: Côté por nocaute no terceiro round.

Forrest Griffin vs Tito Ortiz
O capítulo final de Tito Ortiz.
O co-main event da noite será o ponto final em uma das grandes rivalidades (como Chuck Lidedell e Ken Shamrock) criadas por Tito Ortiz. Na verdade, é um presente do presidente Dana White para o Bad Boy de Hunnington Beach ter sua aposentadoria lutando ainda no UFC. Tito teve apenas uma luta da sua carreira que não foi no torneio americano. O adversário é o adorado Forrest Griffin, que é tão veterano quanto Ortiz, mas ainda luta no nível melhor que o americano. A questão é que os dois adversários querem muito se enfrentar, principalmente porque as últimas lutas foram vitórias por decisão dividida, a primeira para Tito e a segunda para Forrest. Agora, devido as circunstâncias do combate, Forrest leva ligeira vantagem, principalmente se ele conseguir manter a luta em pé. Tito foi por muito tempo conhecido como um mestre do Ground and Pound e foi assim que ele conseguiu a maioria das suas vitórias.

PALPITE: Forrest Griffin por nocaute no primeiro round.

Anderson Silva vs Chael Sonnen
Sonnen checando se Anderson está cheiroso (Globo.com)
A luta não vai ter mistério. Sonnen vai tentar pressionar Anderson na grade e tentar derrubá-lo pra começar a fazer o que sabe fazer melhor, amarrar a luta. O americano estava nitidamente abatido pela perda de peso, mas, um dia após a pesagem, o lutador recupera uma boa parte do peso e da força. Spider sabe que esta é a única ferramenta em que Sonnen se prenderá para conseguir o triunfo que ele quase conseguiu em 2010. Por isso, provavelmente Spider vai aumentar a distância e manter a luta em pé com seu amplo jogo de golpes. Meu desejo é que o brasileiro vença por homicídio doloso! Mas, infelizmente não será possível.


 PALPITE: Anderson Silva por nocaute no segundo round.