sábado, 19 de maio de 2012

Com suor e raça, Drogba e Cia fazem história


E quem disse que o futebol precisa ser bonito? Foi assim que o Chelsea faturou a UEFA Champions League pela primeira vez em sua história.O Bayern foi melhor, criou várias chances, se deu ao luxo de perder o pênalti decisivo na prorrogação, mas, conquistou mais um vice na temporada (o time bávaro foi vice do campeonato e da copa da Alemanha na atual temporada).
A Liga dos Campeões sempre foi o sonho do multimilionário Roman Abramovich, que comprou o Chelsea em 2003. Nove anos depois e com muito suor e raça, Didier Drogba e companhia fatura o maior torneio de futebol entre clubes do mundo.
Pela primeira vez, os Blues levantam a Liga dos Campeões. (Reuters)
O jogo:
        Donos da casa, a atmosfera era favorável aos Bávaros, a Allianz Arena estava completamente lotada. O clube de Munique foi ao ataque, chegava, porém não conseguia passar pela sólida defesa dos Blues.
        A estratégia foi a mesma usada contra o Barcelona na semifinal, o Chelsea esperava o Bayern entrar no seu jogo para quem sabe num contra ataque, conseguir dá o bote. Contudo, a equipe de Londres sentia a falta do brasileiro Ramires na hora do contra ataque, e o primeiro tempo terminou como começou, 0 a 0.
        Na segunda etapa, os times continuaram iguais, o destaque negativo era Mário Gómez, o súper Mário não conseguia dominar uma bola e seu chute não tinha direção. A torcida empurrava o Bayern, e no final do jogo, a jovem promessa alemã, Thomas Müller abriu o placar levando ao êxtase a torcida do maior clube da Alemanha. Pensando que estava definido, Jupp Heynckes sacou Müller e colocou o zagueiro Van Buyten para segurar o jogo.
Bayern mais uma vez, amarga o vice. (Reuters)
Título decidido, a Champions ficaria em terras alemãs? Que nada, aos 43, em seu primeiro escanteio na partida, o Chelsea empatou com Drogba e levou o jogo para a prorrogação.
A prorrogação começa e logo aos 3 minutos, o mesmo Drogba que colocou o Chelsea denovo no jogo, cometeu pênalti em Ribéry, Robben tinha a chance que Messi teve na semifinal contra o mesmo Chelsea. E, ao estilo Messi, Robben bateu nas mãos de Petr Cech, os deuses do futebol estavam a favor do time de Londres, que se fortaleciam a cada erro bávaro. Fim de prorrogação, a partida iria para ao pênaltis. Assim como em 2008, o Chelsea iria decidir sua história na loteria dos pênaltis.
Protagonistas, Drogba e Cech fazem história. (Reuters)
E que as cobranças começaram, Lahm marcou pro Bayern e Juan Mata parou na muralha Neuer. O Bayern estava mais uma vez em vantagem. Mário Gómez e David Luiz converteram para seus respectivos clubes. Num lance meio esquisito, o goleiro Neuer chamou a responsabilidade e cobrou o pênalti com sucesso, Frank Lampard também marcou e o Bayern seguia com a vantagem. Era a vez de Olic, vice em 2010, mais uma vez Olic decepcionou e parou nas mão de Cech, para empatar a disputa, Ashley Cole converteu e mais uma vez, os Blues se superavam no jogo. Eram os últimos cobradores, para o Bayern, o cérebro da equipe, Bastian Schweinsteiger, que curiosamente cobrou o pênalti que eliminou o Real Madrid na semifinal, bateu muito mal e deixava o Chelsea a um gol de fazer história. Didier Drogba tinha a chance em seus pés, o marfinense não decepcionou e no jogo de sua vida, colocou o Chelsea no topo do futebol europeu.

O Chelsea começou a temporada tendo nada mais nada menos o campeão da Liga Europa em seu comando. André Villas Boas chegou mas não se entendeu com o elenco, em especial os “donos” do clube John Terry, Frank Lampard e Drogba. Com um péssimo retrospecto, o português deixou o clube na fase de oitavas de final da Champions, o clube londrino estava praticamente morto na competição.
Em seu lugar entrou o interino Roberto Di Matteo, italiano tinha a sua primeira chance como técnico e logo num clube tumultuado como o Chelsea.
        Com o aval de Terry, Lampard, Drogba e Cia, Di Matteo assumiu e os resultados vieram. O Chelsea ressurgiu na Liga e eliminou o Napoli. Depois passou tranquilamente contra o Benfica e classificou-se para a fase semifinal. O adversário era o todo poderoso Barcelona.
Numa ousada estratégia, Di Matteo faz o que Mourinho e outros tantos não conseguiram. (Guardian
        Usando sua estratégia de defesa, os Blues conseguiram uma verdadeira façanha e eliminaram o melhor time do mundo, dando uma sobrevida ao clube inglês.
        O Chelsea tentou, porém, nas temporadas passadas sempre morria na praia. Em 2008 chegou muito perto, mas o Manchester de Cristiano Ronaldo foi superior e levou o caneco.
        Pode se dizer que o futebol do time do Chelsea não é um dos mais bonitos, mas, funcionou na temporada que coroa uma vitoriosa era na história do clube.
     A Tribuna parabeniza o Chelsea FC, o grande campeão do maior campeonato de futebol entre clubes do mundo, a UEFA Champions League.