domingo, 13 de maio de 2012

Blue Moon !


Tudo azul! Foi assim que terminou o campeonato mais disputado da Europa. Num jogo que teve de tudo: frangos, milagres, vilões, heróis e é claro, muitos gols que levaram o Manchester City ao topo do futebol inglês. Após 44 anos, os Citizens voltam a conquistar a Premier League (Em 1937 e 1968 os azuis levaram o campeonato).

Jogadores levantam a Premier League. (Getty Images)
O jogo:
A expectativa era imensa, já que o Manchester só precisava de uma simples vitória contra o Queens Park Rangers, time que lutava contra o rebaixamento. O City foi a luta, mas demonstrava um nervosismo exagerado, aos 38 do primeiro tempo, o craque marfinense Yaya Touré, mesmo machucado, e jogando sem a menor condição, utilizou seus últimos suspiros para tocar para o lateral Zabaleta, que mandou de bico para o gol e contou com o frangaço do goleiro do QPR, Kenny, foi o primeiro do Citizens. O primeiro tempo acabou e parecia tudo definido, o Manchester campeão e fim de Premier League, porém, mal esperavam os torcedores que a emoção viria na segunda etapa.
Aguero entra para a história do clube em sua primeira temporada  na Inglaterra. (Getty Images)
Do outro lado, o Manchester United vencia o Sunderland e secava o rival. No segundo tempo, o nervosismo imperou no lado azul e numa falha grotesca do zagueiro mais caro do mundo, o inglês Lescott, Cissé não perdoou e empatou o confronto. O Etihad Stadium estava calado. O que estava ruim não poderia ficar pior. Errado! Pois, mesmo com a expulsão do polêmico Joey Barton, o QPR conseguiu a virada com Mackie, o jogo estava 2 a1 para o time de Londres, nem o mais pessimista torcedor do City poderia imaginar tamanho fracasso. Enquanto isso, os Red Devils comemoravam o tropeço rival e só esperava pelo fim do jogo.
Roberto Mancini conquista pela primeira vez uma Premier League. (Getty Images)
Em desvantagem, mas com um a mais, Roberto Mancini colocou Dzeko e Balotelli, o City era só ataque. O desespero durou até os 46, no cruzamento de David Silva, Edin Dzeko mandou de cabeça e empatou a partida, o que não era suficiente, o City precisaria de mais um para consagrar-se campeão. Num lance genial, De Jong trouxe a bola de sua defesa e tocou para Aguero, que pegou o QPR desprevenido e tocou para Balotelli, que mesmo caído conseguiu devolver para Sério Aguero que driblou o zagueiro e mandou bonito para o fundo do gol, era a vitória do City por 3 a 2. O êxtase tomou conta do City Of Manchester, o elenco do City faz história e 44 anos depois, o “primo pobre” de Manchester celebra a conquista da Premier League.
Em 2007, o Manchester City foi comprado pelo xeque Mansour, um bilionário árabe que prometeu aos torcedores, um elenco formado por estrelas que traria glórias ao clube. Após contratações frustradas como o brasileiro Robinho, Adebayor, Roque Santa Cruz, entre outros, o City acertou nas suas contratações e montou uma base que joga pra frente. O time titular assusta qualquer adversário, Hart – Zabaleta – Kompany – Lescott – Clichy – Touré – Barry – Nasri – Silva – Tévez – Aguero. Frisando sempre que os reservas não ficam para trás, craques como James Milner, Edin Dzeko, Mário Balotelli etc, que comandados por Roberto Mancini fazem história pelo clube inglês.
Um título mais do que merecido! Os Citizens não perderam um jogo sequer em sua casa e venceram 28 vezes no campeonato. Além disso, o time teve o melhor ataque com 93 gols e a melhor defesa, sofrendo somente 29 gols.
Presidente do City Al Mubarak e o dono xeque Mansour celebram o título. (Who ate all the pies)
Os azuis de Manchester voltam a UEFA Champions League após uma participação pífia na Liga desta temporada. Se tratando do time do xeque Mansour, grandes jogadores virão para compor o elenco estrelado e agora campeão inglês.
O grande craque dos Citizens na temporada, o marfinense Yaya Toure.  (A Bola)
A Tribuna parabeniza o Manchester City, campeão do campeonato mais emocionanate da Europa, a Premier League.