quarta-feira, 18 de abril de 2012

Espanhóis caem na ida


Grandes duelos, reencontros históricos e corações a mil por hora, começou a fase semifinal da Liga dos Campeões da Europa. Os 'todo poderosos' Barcelona e Real Madrid, enfrentaram Chelsea e Bayern de Munique, respectivamente, e não tiveram sorte. Alemães e ingleses fizeram o dever de casa bem feito e largaram na frente rumo a finalíssima do maior torneio de clubes do mundo.


Ribéry comemora o seu gol contra os merengues. (AFP)


Bayern 2 x 1 Real Madrid (Ribéry – Özil – Gómez): Em um jogo eletrizante, os bávaros provaram seu poderio ofensivo e o apoio de sua massa para vencer os galáticos de José Mourinho. O Real, por sua vez, não se intimidou e também fez uma grande partida. Um jogaço, brigado do início ao fim, em que o time da Baviera abriu o placar logo aos 17 minutos do primeiro tempo com o francês bom de bola Franck Ribéry que aproveitou a sobra num escanteio. O time merengue não sentiu o gol e foi para o ataque, mas só marcou no início do segundo tempo, numa jogada muito bem trabalhada pelos madrilenhos, a bola sobrou para o turco-alemão Özil empatar o confronto. Empurrados por sua torcida e com todo o seu arsenal, a equipe de Munique desempatou a batalha numa belíssima jogada de Lahm que, deixando Fábio Coentrão no chão, cruzou para Mário Gómez decretar a vitória bávara aos 44 do segundo tempo, foi o décimo segundo gol do “Súper Mário” na competição. No final do jogo, ainda deu tempo do brasileiro Marcelo, num ato de irresponsabilidade, dá uma fortíssima entrada no alemãozinho Thomas Müller, a pancada gerou bastante polêmica já que o brasuca só tomou amarelo. O êxtase tomou conta da cidade de Munique que largou na frente e vê seu grande sonho de disputar a final em sua casa mais perto do que nunca.

Veja a forte entrada do brasileiro Marcelo em Thomas Müller:




Drogba celebra o gol da vitória londrina. (AP)


Chelsea 1 x 0 Barcelona (Drogba): E quem disse que o incrível Barcelona não perde? Em um confronto bem estudado, a constelação catalã dominou a posse de bola e cansou de perder oportunidades. Porém, a equipe se portou ao estilo dos jogos contra o Milan, meio que sem vontade. Os Blues que não tinham nada a ver com isso aproveitaram uma cochilada de Messi para armar um contra-ataque fulminante que resultou no gol de Didier Drogba e garantiu a vitória do Chelsea. O clube inglês mostra que tem pontencial quando realmente quer jogar, com um elenco bem complicado e semelhante ao de 2008 (naquela ocasião, os ingleses se classificaram para a final em Moscou) os londrinos largam na frente do favoritíssimo Barça e agora precisa se segurar no Camp Nou para conseguir o que nem o mais otimista torcedor do Chelsea acreditaria, chegar a mais uma final da Liga e porque não pensar no título?

Espanhóis largam mal e podem não fazer a tão sonhada final. (Reuters, AP, Editado por Francisco Nobre)
         Os jogos de volta acontecem já na próxima semana. O Barcelona recebe o Chelsea no Camp Nou na terça, e o Bayern vai até Madrid, enfrentar Mourinho e seus pupilos.