segunda-feira, 16 de abril de 2012

Alexandre, o Grande... Pato

Assistir o jogo de Barcelona e Milan me fez ter uma motivação para falar sobre alguma personalidade desse jogo. Se você pensou em Messi, errou, ainda não consigo descrever o argentino com palavras. Se você pensou em Ibra, também errou. Ele é brasileiro, mas, não está jogando e é sobre isso que vou falar. O grave problema de Alexandre Pato, um ex-jogador em atividade com 22 anos de idade (créditos para PVC por esse comentário.)

A promessa. (internacional.com)

Alexandre Pato foi guardado a sete chaves pela diretoria do Internacional. O garoto do interior do Paraná surgiu como uma grande surpresa no ano de 2006, nas últimas rodadas do Brasileirão. Mas, para os torcedores do Colorado, o rapaz era tido como uma grande esperança, aquele que faria dupla de ataque com Fernandão para o mundial da Fifa. Tudo bem, não vamos fugir da discussão tática. No mundial, Fernandão jogou atrás da dupla de ataque, que foi formada por Iarley e Alexandre Pato.



No entanto, Pato foi escalado a primeira vez contra o Palmeiras, numa das últimas rodadas do Brasileirão daquele ano. Resultado? O menino só não fez chover. Fez gol, deu assistência, drible, brigou e foi assunto em TODAS as mesas redondas nos dias seguintes. Praticamente, foi comprovado que Pato não seria uma promessa, ele já era uma realidade com apenas 17 anos.

O jogo. (esporteslazer.com)
O mundial foi sua apresentação ao futebol internacional. E Pato não deixou a desejar, no primeiro jogo marcou o primeiro gol do Internacional no campeonato. O Inter se classificou para a final contra o temido Barcelona, que tinha Deco, Zambrotta, Xavi (lesionado), Guily, Messi (também lesionado) Eto’o (tava todo mundo machucado?) e o GÊNIO Ronaldinho Gaúcho liderando essa turma. Só que o time de Abel Braga não se acovardou! Pelo contrário, o treinador montou uma defesa mais que sólida, colou o então lateral Ceará em cima de Ronaldinho (que não jogou nada!) e deixou o time pronto para o contra-ataque. Resultado? Depois de uma jogada brilhante de Iarley, Adriano Gabirú (ele mesmo!) colocou a bola no fundo das redes e fez o Inter tornar-se o quinto time brasileiro campeão do mundo. (Desculpem-me os Corintianos, mas eu não considero aquele torneio de verão um título mundial.).



Pato teve o final de ano dos sonhos para o fim de sua primeira temporada. Estava com todos os holofotes em cima dele. Só que a temporada de 2007 não começou da forma que o jovem jogador gostaria, o Inter foi eliminado na primeira fase da libertadores. Todavia, o futuro seria generoso com o atacante, o fazendo marcar um gol em mais um título internacional do time gaúcho, contra o Pachuca, na Recopa.

Logo após esse início devastador, não duraria muito tempo para que o assédio internacional começasse a bater na porta do Beira-Rio. Dito e feito, Alexandre Pato, ao completar 18 anos de idade, foi vendido ao Milan por 22 milhões de Euros. Pato não pôde ser imediatamente inscrito em nenhuma competição devido o tempo de inscrição que fora superado quando o jogador chegou. Ele marcou seu primeiro gol no Milan logo no primeiro amistoso que disputou, contra o Dínamo de Kiev.

Só que Pato deixou de ser apenas manchete nos jornais esportivos. Após assumir o romance com a atriz Sthefany Brito. O jovem casal era muito “querido” pela mídia e era muito popular. Sendo assim, Pato partiu para Europa e deixou sua namorada no Brasil, o que não foi muito questionado pelos portais de fofoca.

O casamento
("Não deu." Quico, sobre o casamento)
(futebolaparameninas.com
 )

Corações e gols. O Milan. (esportes.uol.com)
Em janeiro de 2008, Pato estreia oficialmente pelo Milan. Mais uma excelente partida do atacante brasileiro, com muitos dribles e uma presença agressiva durante todo jogo. Foi responsável pelo último gol da esquadra milanista, e homenageou a namorada, que estava nas arquibancadas do San Siro, com um coração feito com as mãos (Esse que todos fazem hoje em dia,).

Sua estreia na seleção brasileira foi contra a Suécia, em um amistoso comemorativo referente à final do mundial de 1958. Pato entrou no segundo tempo e marcou seu primeiro gol com a camisa amarelinha, ou melhor, azulzinha, já que a Suécia era quem estava trajando amarelo. O gol de pato foi em uma saída errada do goleiro sueco, fazendo com que Pato fizesse um belo gol de cobertura. A carreira de Pato só avançava, agora, ele também era pedido na seleção brasileira. Entretanto, uma pequena lesão no fim da temporada foi o indício de algo que seria um estigma na carreira do brasileiro. A temporada seguinte marcou Pato como principal atacante do time, sendo o artilheiro dos Rossoneri junto com Kaká, fazendo com que o Milan se classificasse para a Liga dos Campeões.

O que poderia dar de errado na vida deste rapaz? Amado no clube, pedindo na seleção e com um relacionamento midiático “estável”. Kaká deixou o clube para ir à Madrid, e Pato quase teve o mesmo rumo, só que o destino seria o Chelsea. Sua proposta foi recusada e Pato foi creditado como uma das principais esperanças do clube da Lombardia. Entretanto, mesmo com partidas brilhantes como contra o Real Madrid na Champions, naquela em que ele marcou dois gols no Santiago Bernabeu, Pato teve vários problemas com lesões. E esse não foi o único dos males, o casamento com a atriz Sthefany Brito terminou e a vida pessoal do atacante foi a publico em demasia, não trazendo nenhum tipo de sossego ao rapaz. A temporada também acabou sendo marcada pelas lesões e não pelos gols feitos.




O motivo das lesões? (futebolparameninas.com)
A temporada 2010-11 mostrou que o Milan queria mais peças para o ataque, as contratações de Robinho e Ibrahimovic foi a comprovação que o Milan não estava a fim de esperar as condições físicas de Pato para ter sucesso nesta temporada. E realmente, Ibra era peça insubstituível. Pato, Robinho e Cassano revezavam com o sueco na frente. A temporada teve um bom saldo para o atacante, ele foi o artilheiro do time junto com Ibra, mas ele atuou menos vezes que o seu companheiro. Só que, mais uma vez, Pato não foi destaque apenas pelo futebol, mas sim pela comemoração aos beijos com a nova namorada, Bárbara Berlusconi, filha do proprietário do time, Silvio.



Mesmo com esses bons feitos, a temporada não terminou da forma que ele queria. Sofreu uma lesão no ombro no fim, o que possivelmente atrapalhou sua preparação para a Copa América com a seleção brasileira. Pato teve atuações fracas, muito ligadas ao seu posicionamento como atacante central, fixo na área.

A temporada 11-12 tinha tudo para fazer Pato não sair dos noticiários esportivos. O seu time era o atual campeão italiano e voltou a ser uma das grandes equipes da Europa, e ele começou fazendo um belíssimo gol contra o temido Barcelona em pleno Camp Nou. Contudo, Pato realmente não saiu dos holofotes esportivos, mas, poderia também ser do boletim médico do Milan. O jogador, depois da partida contra o Milan, atingiu o respeitadíssimo número de 14 lesões nessa temporada. Ou seja, Pato está criando um status superior ao do vulgo “chinelinho”.

Pato precisa de uma excelente pré-temporada. O Milan está brigando pelo título italiano, mas eu não acho que vale a pena arriscar a saúde desse problemático jogador pelo título nacional, que está sendo bem disputado com o atual elenco. Já Pato, precisa colocar a cabeça no lugar, esquecer em ilustrar a Contigo e pensar mais na Placar, que é onde ele deve ser manchete. Entretanto, no caminho que ele está seguindo, ele está mais propício a fazer parte da “Men’s Healthy”, com um título de “Como não ser um jogador de futebol...”.