terça-feira, 15 de maio de 2018

Eles também mereciam!



Terminou nesse domingo a passagem de 22 anos de Arsène Wenger como treinador do Arsenal. E em tantas temporadas, o francês acumulou glórias, elevou o patamar do clube mais popular da capital da Inglaterra. Mas também somou frustrações, incluindo nas últimas épocas.  No entanto, foi há 12 anos que os Gunners sofreram o maior baque de sua história, uma ferida na qual eles jamais cicatrizaram. Mas naquela final de Paris, Wenger e os seus eleitos também mereciam o título.
Henry e Wenger: as duas principais figuras da história do Arsenal (Reuters)

domingo, 6 de maio de 2018

Os Reds disseram sim a Jürgen Klopp e ele retribuiu com uma improvável vaga na decisão da Liga dos Campeões da Europa


Quando Jürgen Klopp anunciou a sua saída do Borussia Dortmundo, o treinador alemão afirmou que só assumiria um clube que lhe desse a oportunidade de se apaixonar novamente por tudo o que significava a instituição. Dentre as possibilidades, não existia um lugar melhor do que o Liverpool. Afinal, ambos foram foi feitos um para o outro. E em três anos intensos de casamento, com direito a bons e maus momentos, a sua passagem chega ao auge, os Reds estão de volta a finalíssima da Liga dos Campeões da Europa.
Jürgen Klopp chega a segunda decisão de Liga dos Campeões, agora comandando o Liverpool (Getty Images)

quinta-feira, 3 de maio de 2018

Vaga na decisão mascara a temporada vexatória do Real Madrid


O Real Madrid escreveu mais um capítulo importante em sua história fenomenal. E pela terceira vez consecutiva, o time da capital vai disputar a decisão da Liga dos Campeões da Europa.  No entanto, a temporada não tem sido das melhores para os Merengues. Muito pelo contrário, com um desempenho vexatório que eliminou qualquer possibilidade de título espanhol ou da Copa do Rei, a vaga na finalíssima europeia mascara um ano de frustrações. Diante desse cenário, apenas o título vai salvar a pele do melhor clube de futebol do planeta.
O Madridismo contra o mundo: é assim que o Real vai em busca da 13ª (Getty Images)

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Onde a paixão supera a tradição


Para os quatro semifinalistas da Liga dos Campeões da Europa, faltam apenas três jogos para a glória máxima do futebol no continente. E antes de rumarem para Kiev, o palco da decisão na temporada 2017/2018, Liverpool x Roma e Bayern de Munique x Real Madrid vão duelar em confrontos de ida e volta. São semifinais bem inusitadas se compararmos as edições anteriores: de um lado, toda a tradição e soberania alemã e espanhola, do outro, a Itália (menos a Lazio) em peso torcendo por uma esquadra diante de um gigante inglês adormecido, mas que retorna com a grandeza daquela decisão de 1984.
Cristiano Ronaldo peregrina rumo a solidão como o melhor do mundo, mas três clubes lutam contra ele o seu Real Madrid (Tribuna do Cisco)

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Onde a tradição é fundamental


A Liga dos Campeões da Europa chega a fase de quartas de final. De um lado, quatro camisas para lá de pesadas, e de outro, mais quatro camisas de clubes de menos tradição, que visam fazer história em busca de uma vaga em Kiev, o palco da decisão desta temporada. E como de costume, Barcelona e Real Madrid largam na frente, mas não podemos duvidar do Bayern nem de Jupp Heynckes. Correndo por fora estão o Manchester City, de Pep Guardiola, o Liverpool, de Jurgen Klopp, e a Juventus, atual vice-campeã europeia. Por fim, estão Roma e Sevilla, que são os meros figurantes, mas que chegaram com méritos entre os oito melhores clubes do continente. Sem mais delongas, vamos aos palpites!

Na Era dos Titãs, seis clubes tentam acabar com a hegemonia de Real Madrid e Barcelona (Arte: Tribuna do Cisco)